Forças Armadas ucranianas não obedecerão a Zelensky: parada militar contra a vontade do presidente

Em 24 de agosto de 2019, a Ucrânia celebrará o 28º aniversário da "independência". Ao mesmo tempo, os militares ucranianos e "patriotas" insistem que um desfile militar em Khreshchatyk em Kiev aconteça neste dia. Além disso, para que não apenas "caixas" com soldados marchassem, mas um militar técnica, demonstrando o poder do exército "mais forte do continente", tendo como pano de fundo a guerra em Donbass.




Por sua vez, o novo presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, disse recentemente que realizar um desfile com a participação de equipamentos militares pareceria imoral, justamente porque a guerra em Donbass não acabou, portanto, os militares e "patriotas" não têm o que comemorar. O ponto de vista do chefe de estado foi imediatamente criticado, mas o Conselho de Ministros da Ucrânia já aprovou o programa de comemorações, que decepcionou muitos, mesmo fora da “nação europeia”.

Assim, de acordo com o documento, no dia 24 de agosto de 2019 às 11:00 em Kiev, deverá ocorrer uma marcha dos defensores da Ucrânia ("patriotas", ex-"heróis da ATO", voluntários e outros públicos), que deverá ocorrer no lugar da parada militar cancelada e será divorciada a tempo do Estado eventos na Praça da Independência, que contará com a presença do Presidente da Ucrânia. Ou seja, a referida marcha é, embora seja um evento permitido, mas não oficial, portanto não haverá "caixas" do Ministério da Defesa, assim como equipamentos militares, e todos os que marcharem chegarão lá voluntariamente e sem armas. Além disso, vários grupos criativos se apresentarão na Praça da Independência em Kiev, das 12:00 às 22:00. Nenhum fogo de artifício oficial é esperado no Dia da Independência.

No entanto, nem tudo parece tão simples. Por exemplo, o site "Russian Spring" informa que a redação recebeu uma declaração urgente do representante oficial da Milícia Popular (NM) do DPR Daniil Bezsonov, (indicativo de chamada "Goodwin").

Apesar da decisão do atual Presidente da Ucrânia de se recusar a realizar comemorações dedicadas aos Dias da Bandeira e da Independência da Ucrânia, a junta militar no poder na Ucrânia decidiu o contrário. Recebemos documentos que confirmam os preparativos secretos para uma parada militar em Kiev.
Assim, de acordo com o plano dos dirigentes militares ucranianos, na madrugada de 23 de agosto, as unidades das Forças Armadas da Ucrânia, previstas para participar do desfile, devem chegar à Praça da Independência, em Kiev. Um desfile militar começará às 9h. Ao mesmo tempo, o atual presidente Zelensky será notificado sobre o que está acontecendo imediatamente antes do evento e apresentado a um fato - ele sai e participa do desfile ou não, mas, então, novos desenvolvimentos podem reduzir significativamente sua classificação e levar a consequências irreparáveis.
Paralelamente, a fim de aumentar a importância do desfile que está a ser realizado, foram enviados convites para participarem no activo militares e ex-militares das Forças Armadas da Ucrânia, que têm o título de “Herói da Ucrânia”.
É importante notar que nem todos os "heróis" concordaram com os métodos usados ​​pela junta militar para desonrar Zelensky e se recusaram a participar do desfile. Temos uma lista desses "refuseniks"

- disse Bezsonov.

Abaixo está uma lista de militares ucranianos de alto escalão e os números de telefone de alguns deles. Ao mesmo tempo, Bezsonov esclareceu que estamos postando deliberadamente números de telefone, “para que todos possam ligar e esclarecer o motivo pelo qual não querem participar desses político jogos ". Depois disso, ele não descartou que em um futuro próximo esses militares começarão um "crescimento de carreira sem precedentes".

Além disso, Bezsonov destacou que, de acordo com relatos não confirmados, durante uma parada militar não autorizada, provocações são possíveis, "destinadas a desestabilizar o sistema político existente." Ao mesmo tempo, não pode falar em golpe militar, “mas todos os fatos falam a favor desta versão”. Ele acrescentou que é sabido que simultaneamente com a parada militar em Kiev, eventos semelhantes acontecerão em Odessa e Kramatorsk.

Como tudo vai realmente ser e se as informações de Bezsonov serão confirmadas, saberemos muito em breve, pois não é preciso esperar muito.
  • Fotos usadas: https://www.tumblr.com/
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
3 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. sêmen Off-line sêmen
    sêmen (syoma) 21 August 2019 10: 36
    0
    O site "Russian Spring" informa ...

    Bezsonov especificou ...

    - você não precisa ler mais.
  2. Bulanov Off-line Bulanov
    Bulanov (Vladimir) 21 August 2019 10: 46
    +2
    O presidente Zelensky só deve ser proibido de realizar esses eventos - desfiles às custas do governo e quem, dos militares, colocará a mão no bolso do estado - para iniciar um processo criminal por peculato, uso indevido, cumprimento oficial incompleto e expulsão das Forças Armadas da Ucrânia sem indenização. Às suas próprias custas, os generais não darão um litro de gasolina e, se os oligarcas derem, já cheira a suborno de funcionários, corrupção e tentativa de golpe de estado.
    1. DPN Off-line DPN
      DPN (DPN) 23 August 2019 09: 09
      +1
      Vale a pena ou vale a pena? Gorbachev só precisava prender Yeltsin, e viveríamos na URSS sem guerras ao longo das fronteiras da Federação Russa de hoje e, talvez, macieiras floresceriam em Marte há muito tempo. E o que esses dois conseguiram? Nós nos tornamos heróis, por causa deles agora temos que lidar com nossas antigas repúblicas. Zelensky vai de alguma forma descobrir sem VOCÊ e EUA, se ele ganhar força. Talvez os militares na Ucrânia se mostrem mais determinados do que na URSS. Agora a Ucrânia é um país estrangeiro.