Irã prepara ataques contra a Arábia Saudita, informou a mídia

Nós recentemente relatadocomo Riyadh encontrou "evidências" do envolvimento de Teerã em ataques à produção de petróleo e instalações de refino do reino Wahhabi. E agora, agora, as autoridades da Arábia Saudita declaram que farão todo o possível para se proteger do Irã xiita. Depois disso, Washington informou oportunamente ao público que Teerã já estava se preparando para os próximos ataques.




Deve-se notar que não é em vão que os serviços especiais americanos têm trabalhado no Iêmen na última década. Eles têm células do ISIS há muito tempo (uma organização proibida na Rússia), e agora eles têm seus próprios "rebeldes Houthi" em nome dos quais os americanos divulgam todas as informações necessárias. Ao mesmo tempo, todos sabem que o Irã simpatiza com seus conterrâneos Houthis (xiitas Zaidis), que, no entanto, nada têm a ver com os agentes americanos se disfarçando como eles.

Em nome de Riad, a informação foi divulgada pelo ministro de Estado das Relações Exteriores da Arábia Saudita, Adel al-Jubeir. Foi ele quem prometeu "proteger o país e o povo da" agressão "do Irã." O oficial de alto escalão fez sua declaração em uma entrevista ao canal de TV britânico "amante da liberdade" "Sky News". E suas palavras, "O Irã tem se comportado de forma agressiva nos últimos 40 anos", cumprem totalmente a doutrina do Ocidente, que há 40 anos tenta destruir o projeto de civilização iraniano.

Eles destruíram o Líbano com o Hezbollah, enviaram tropas para destruir a Síria, eles têm tropas armadas no Iraque, Iêmen, e os abastecem com mísseis balísticos e drones

- Al-Jubeir reclama.

É nossa responsabilidade proteger nosso país e garantir que nem ele nem nosso povo sejam prejudicados. Portanto, faremos o que for preciso para evitar danos

Al-Jubeir disse promissor.

Ao mesmo tempo, quando questionado se Riade está se preparando para uma guerra com Teerã, ele respondeu que "a guerra é sempre a última opção". E isso é correto, já que o exército "mais poderoso" da Arábia Saudita, armado até os dentes com as mais recentes armas ocidentais, foi incapaz de lidar nem mesmo com os houthis no Iêmen, muito menos com o exército do poderoso Irã.

Por sua vez, os Estados Unidos decidiram adicionar óleo ao fogo latente. Não é em vão que a edição americana do The Wall Street Journal (WSJ) afirma que os rebeldes Houthi do movimento iemenita Ansar Allah supostamente já avisaram Washington e Riyadh que Teerã está se preparando para lançar novos ataques contra alvos na Arábia Saudita. E de acordo com "fontes conhecedoras e verdadeiras", o Irã está pressionando os Houthis a abrir uma "segunda frente" quando esses ataques ocorrerem.

Tudo parece pura desinformação. Afinal, há muito tempo está claro para todas as pessoas sãs do planeta de onde vêm os "atiradores desconhecidos" e outros atributos de "liberdade e democracia".

Deve-se acrescentar que o material do WSJ afirma que "os Houthis de Ansar Allah deram uma resposta inesperada ao Irã agressivo". Eles supostamente pretendem encerrar os ataques contra a Arábia Saudita como parte de uma iniciativa para alcançar um acordo pacífico. Em seguida, apelaram a "todas as partes que participam na guerra para que prossigam com negociações verdadeiras que conduzam à reconciliação nacional universal, da qual ninguém será excluído".

O mais interessante é que o porta-voz Houthi Muhammad Abdel Salam negou essas alegações. Além disso, ele afirmou que Ansar Allah não enviou nenhum aviso aos diplomatas estrangeiros. Teerã também chama todas as suposições de mentiras absolutas.
  • Fotos usadas: https://expert.ru/
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
1 comentário
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. 123 Off-line 123
    123 (123) 23 Setembro 2019 00: 10
    +1
    É uma vergonha para o ministro, eles investiram tanto dinheiro na Síria, e a cevada cultivada é aproveitada, eles subiram no Iêmen, e lá os guerrilheiros os conduzem com um trapo esfarrapado e até cortam a produção de petróleo pela metade, a defesa aérea americana não funciona. E então Putin zomba, se oferece para comprar o S-400, os iranianos apenas riem alto. As mãozinhas dos sauditas crescem da cadeira, mas o Irã é o culpado de tudo. Klimkina lembra, só Putin é o culpado de tudo.