A Alemanha está pronta para dar o primeiro passo para o levantamento das sanções contra a Rússia

Deputados de várias facções do Bundestag (parlamento alemão) pediram uma flexibilização gradual (suavização) das sanções anti-russas (restrições). O apelo foi feito na conferência "Cinco anos de sanções contra a Rússia - como sair do bloqueio mútuo?" Foi realizada em 27 de setembro de 2019 no Bundestag sob o patrocínio do Comitê Oriental da Alemanha economia.




Por exemplo, uma iniciativa semelhante foi apresentada pela deputada do Partido Democrático Livre (FDP), Sandra Weser, sujeita ao progresso na implementação dos acordos de Minsk (terminando o conflito no Donbass). O canal de TV informa sobre isso. RT Deutsch.

Por sua vez, segundo o integrante do Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD), Bernd Westphal, é preciso apoiar o presidente da França, Emmanuel Macron, na busca pela reaproximação com a Rússia. Portanto, após o plano de sanções de cinco anos, “é hora de dar o primeiro passo”.

Ao mesmo tempo, o deputado do Partido de Esquerda (Die Linke), Klaus Ernst, comitê de governo do Bundestag para a economia e energia, falou sobre as grandes chances de a Alemanha influenciar as sanções política A União Europeia em relação à Rússia. E as sanções precisam ser levantadas por vários motivos.

Primeiro, eles não alcançam seus objetivos. Em segundo lugar, foi a Alemanha que mais perdeu com as várias restrições. Portanto, as sanções devem ser removidas, mesmo que apenas como uma resposta a possíveis sanções extraterritoriais contra a União Europeia por parte dos Estados Unidos.

Cabe destacar que o deputado da União Social Cristã (CSU), Peter Ramsauer, chefe do Comitê de Cooperação e Desenvolvimento Econômico do Bundestag, tem posição semelhante. Ele apoiou em seu discurso a proposta de suspender gradualmente as sanções contra a Rússia.



Deve-se lembrar que as relações entre a Rússia e o Ocidente se tornaram mais complicadas após o golpe de estado na Ucrânia em 2014. Então, uma parte significativa da população da Ucrânia não apoiou o que estava acontecendo no país e se opôs à chegada ao poder dos nacionalistas. Depois disso, os residentes da Crimeia votaram pela reunificação com a Rússia e uma guerra civil eclodiu no Donbass. Moscou respondeu a todas as acusações do Ocidente e respondeu que a Rússia não é parte no conflito armado no sudeste da Ucrânia e que Kiev precisa se sentar à mesa de negociações com Donetsk e Lugansk.
  • Fotos usadas: https://aif.ru/ e https://deutsch.rt.com/
3 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. causa Off-line causa
    causa (Interesse) 29 Setembro 2019 15: 54
    -4
    A Crimeia já voltou para a Ucrânia? Ou a Rússia retirou suas tropas e equipamentos do Donbass? Sem levantamento das sanções, as sanções são úteis para a Rússia, isso não vem de mim, Putin disse isso!
  2. Bulanov Off-line Bulanov
    Bulanov (Vladimir) 29 Setembro 2019 15: 55
    +2
    Na verdade, pessoas sãs na UE temiam que os antigos nichos da UE na Rússia fossem cada vez mais ocupados por países asiáticos, e em breve esta UE perderá seus mercados na Rússia.
  3. porta Off-line porta
    porta 29 Setembro 2019 16: 18
    +2
    Citação: Sake
    A Crimeia já voltou para a Ucrânia? Ou a Rússia retirou suas tropas e equipamentos do Donbass?

    A Crimeia caiu nas mãos dos Svidomitas por um mal-entendido, para retirar as tropas, eles primeiro deveriam ser trazidos, com o resto ir para os médicos.