O império de Elon Musk desmorona diante de nossos olhos

Nos últimos anos, o bilionário americano Elon Musk se tornou uma lenda viva. Toda semana, pelo menos uma menção de seu nome ocorre na mídia, pelo menos uma vez por mês eles falam sobre seu próximo empreendimento fantástico. É criada a imagem de uma pessoa que traz o progresso e a luz da ciência ao mundo. Musk então transplanta o mundo inteiro em carros elétricos, então os lança no espaço, tirando contratos de Roscosmos de passagem, então desenvolve trens-bala a vácuo, então com uma cara séria se prepara para colonizar Marte, etc.




Mas quanto mais longe, mais críticas soam sobre suas atividades. Se desejar, você pode tentar explicar as críticas pelas intrigas dos concorrentes e pela inveja dos perdedores. Mas se você olhar objetivamente, pouco do que Elon Musk declarou como um avanço, corresponde aos parâmetros prometidos. Por exemplo, a SpaceX, anunciada como a "matadora de Roscosmos" devido ao estágio reutilizável reutilizável, aumentou modestamente a taxa de lançamento da NASA para US $ 152 milhões e, sem mais comentários, continua a produzir estágios de lançamento na mesma quantidade.

Especialistas sorridentes lembram a bateria de parede Powerwall de US $ 2015 anunciada em 3000, que deveria economizar eletricidade comprando-a da rede à noite e vendendo o excedente durante o dia na bolsa de valores, trazendo renda para o feliz proprietário. É 2018 e as coisas ainda estão lá. O novo projeto da Ilona Mask com telhas equipadas com elementos de armazenamento de uma bateria solar aprimorada, anunciado em 2016, também foi esquecido. Em 2017, um bilionário americano de Nevada lançou a Gigafactory-1 para a produção de baterias de íon-lítio, que, segundo o criador, deveria produzir metade do volume total de baterias do mundo. Porém, o surgimento de tamanha quantidade desse tipo de produto não é sentido no mercado mundial, e não é mais comum lembrar a Gigafactory.

O Tesla de Musk fornece ao comprador veículos elétricos atraentes a preços relativamente acessíveis. No entanto, Tesla não representa nada fundamentalmente inovador em termos técnicos. O aumento da autonomia é proporcionado pelo aumento do volume das baterias, em que o carro elétrico chega a pesar 2,5 toneladas. Os carros elétricos de concorrentes com nomes como BMW ou Jaguar não são inferiores em desempenho aos produtos Musk. Tesla não deu nada fundamentalmente novo para o mundo. Não é surpreendente que a empresa de Elon Musk, que não lida com os volumes declarados de produção de automóveis, sofra perdas recordes. Por exemplo, no primeiro trimestre deste ano, já perdeu 710 milhões de dólares. Talvez o lançamento de Tesla no espaço tenha sido seu canto de cisne.

Acontece que, se a publicidade for descartada, surge a imagem de um certo “Barão de Munchausen” dos tempos modernos, que corre de projeto em projeto, encobrindo as falhas do passado com novas. Acontece uma espécie de pirâmide de fantasias lindamente embaladas, que mais cedo ou mais tarde entrará em colapso ruidosamente. Mas o problema é que este PR de supostas realizações suprime a prontidão das pessoas para contestar em resposta. Incapaz de resistir a essa pressão constante, o homem da rua se transforma em um consumidor formatado, como um "sectário" que está disposto a gastar muito dinheiro todos os anos por um novo modelo de smartphone completamente desnecessário, simplesmente porque os "desenvolvedores" o tornaram 3 milímetros mais fino.
2 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. O comentário foi apagado.
    1. master2 Off-line master2
      master2 (Zhora) 5 pode 2018 19: 08
      0
      Você não deveria estar falando sobre Roscosmos! Lançaram uma catleta, um machado e relíquias de alguém, e você fala!
  2. Marzhetsky Off-line Marzhetsky
    Marzhetsky (Sergey) 5 pode 2018 07: 38
    0
    Citação: egorc
    Os satélites GLONASS estão chegando um por um

    Aliás, esses satélites são 70-90% dos componentes importados ...