Varsóvia explica porque não considera mais a Rússia um inimigo


Nós recentemente relatadoComo o presidente polonês Andrzej Duda, logo no briefing após a cúpula da OTAN (realizada em Londres em 4 de dezembro de 2019), ele literalmente repetiu as palavras do líder francês Emmanuel Macron de que não considera a Rússia mais um inimigo do que causou forte excitação emocional em as fileiras dos russófobos. E assim, de Varsóvia, eles tentaram explicar uma mudança tão brusca na retórica da liderança do país.


Além disso, o chefe do gabinete do Presidente da Polónia, Krzysztof Szczerski, teve de dar comentários (explicações) à Reuters (Londres), para que todos compreendessem e avaliassem correctamente a "sinceridade" de Varsóvia. Para maior clareza, deve ser esclarecido que os principais russófobos do planeta estão concentrados na Inglaterra, que tem sido um inimigo declarado da Rússia por vários séculos.

Como país vizinho da Rússia, jamais insistiremos no antagonismo (contradição irreconciliável - ed.) Nas relações do Ocidente com a Rússia, porque assim poderemos nos tornar vítimas desse antagonismo

- disse Shchersky.

Um alto funcionário polonês lembrou que na mencionada cúpula da OTAN em Londres, o presidente francês Macron exortou a Polônia a reconsiderar fundamentalmente as relações com a Rússia. Porém, segundo Shchersky, Macron não conseguiu influenciar a opinião de Duda. Shchersky esclareceu que as oportunidades de diplomacia da Polônia com a Rússia são "limitadas", assim como as oportunidades de diálogo.

Russo política pode mudar, pode abrir a porta para um diálogo mais amplo, mas isso exigirá uma mudança nas condições. Em primeiro lugar, um afastamento da política de poder na região

- resumiu Shchersky para deleite dos russófobos.

É preciso lembrar que o nacionalista Shchersky nunca explicou quem a Rússia ameaça. Além disso, ele havia repetidamente chamado a lógica histórica da Rússia de “problemática”. Isso não é surpreendente, porque pessoas como ele têm certeza de que um rei polonês deveria governar em Moscou por 400 anos, e a Polônia deveria se estender até o oceano Pacífico.

Diante disso, pode-se concluir que Varsóvia ainda está na órbita de Londres. Isso significa que a Polônia continuará a enfrentar as elites da Europa continental, que já estão cansadas da russofobia sem sentido, que traz alguns problemas.
  • Fotos usadas: http://ua.today/
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
8 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. bratchanin3 Off-line bratchanin3
    bratchanin3 (Gennady) 15 Dezembro 2019 13: 13
    0
    Finalmente chegou.
    1. Yuri Mikhailovsky (Yuri Mikhailovsky) 16 Dezembro 2019 15: 25
      +1
      O Senhor está com você !!! Não pode haver nada além de maldade.
      1. O comentário foi apagado.
  2. Сергей39 Off-line Сергей39
    Сергей39 (sergey) 15 Dezembro 2019 14: 00
    +1
    A Polônia é o último país da Europa a desistir da russofobia. Os britânicos começaram algo desagradável com as mãos dos poloneses.
  3. nnz226 Off-line nnz226
    nnz226 (Nikolay) 15 Dezembro 2019 18: 56
    +3
    Por alguma razão, os psheks só agora perceberam que eles simplesmente seriam separados mais uma vez se eles, como uma pulga em um pente, se exibissem na frente da Rússia. Tanto os séculos XVIII, XIX e XX mostraram que o Ocidente não caberia numa bagunça, mas com muito prazer arrancaria dela uma peça nobre!
  4. Pepinos Off-line Pepinos
    Pepinos (Ogurtsov) 15 Dezembro 2019 21: 07
    0
    A ovelha percebeu que sua pele era necessária, não ela.
  5. Isso é o que algumas centenas de tanques estão fazendo na fronteira!
  6. O comentário foi apagado.
  7. Vkd Dvk Off-line Vkd Dvk
    Vkd Dvk (Victor) 16 Dezembro 2019 10: 54
    +1
    Citação: bratchanin3
    Finalmente chegou.

    Chegou a um ponto em que se prepararam para impedir o trânsito de gás pela Ucrânia. Não é mais possível esconder seus sentimentos "amigáveis" com os fascistas de Bandera. "Amizade" até com o diabo, mas, se apenas, contra a Rússia. E com planos secretos, arrastados para a UE, finalmente conseguirão os seus ao abrigo da lei sobre a restituição. Mais de 700 mil poloneses possuem documentos que lhes conferem esse direito. E é especialmente notável que a maioria deles se estenda precisamente às regiões ocidentais, que se tornaram parte da URSS nos anos posteriores.
  8. Guerreiro Off-line Guerreiro
    Guerreiro 16 Dezembro 2019 15: 48
    0
    Todos os poloneses DEVEM, assim como seu gado polonês - ocidentais ucranianos.