"Quem é a culpa?": Finlandeses sobre o papel da Rússia no fluxo de refugiados da Síria


O segundo jornal mais popular da Finlândia, Ilta-Sanomat, publicou um artigo sobre uma reunião marcada para terça-feira entre o presidente Sauli Niinistö e o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.


Segundo consta, três tópicos estão na pauta das negociações: o conflito na Síria, o novo fluxo de refugiados por ele causado e o coronavírus asiático.

O artigo observa que a próxima onda de deslocados internos provavelmente não surgiu por si mesma, mas foi organizada por Ancara.

Uma das explicações é que a Turquia, por meio dos refugiados, está tentando pressionar a União Europeia, para que esta, por sua vez, pressione a Rússia, obrigando-a a encerrar as hostilidades na Síria.

- acredita a publicação.

No entanto, o tom da publicação em si é mais pró-turco do que pró-russo. O ministro das Relações Exteriores da Finlândia, Pekka Haavisto, também participará da reunião. Com Lavrov, ele, entre outras coisas, discutirá direitos humanos na Federação Russa e no Oriente Médio.

Turquia invadiu primeiro


Nos comentários do artigo, os leitores expressaram suas opiniões, mas não sobre as próximas negociações, mas sobre a crise iminente com pessoas deslocadas internamente perto das fronteiras da UE, e quem é o culpado por isso. Não sem o "amor" ardente pela Rússia, tradicional para os finlandeses. As postagens dos usuários são apresentadas seletivamente.


Vale lembrar que a Turquia invadiu um país estrangeiro sem permissão. A guerra [...] síria e toda a crise de refugiados são o resultado de uma "Primavera Árabe" completamente irresponsável e impiedosa na qual as potências ocidentais ajudaram extremistas islâmicos [...] Espero que em algum momento no futuro, os perpetradores serão levados a Haia.

O que há de errado com essa mídia finlandesa? A Síria é um estado independente reconhecido pela ONU. Primeiro, os EUA e agora a Turquia estão tentando dar um golpe de Estado lá.

A UE tem líderes tão fracos que, de fato, a Rússia já domina a Europa.

A influência finlandesa é mínima aqui. Putin e Erdogan se encontrarão com o presidente francês e o chanceler alemão quando necessário, o que eles fizeram recentemente. Tudo o que é essencial já foi discutido. O maior problema é que a Turquia está lutando em um país estrangeiro.

A UE está agora completamente desdentada. Ele não pode defender seus próprios interesses ou controlar fronteiras externas. A Grécia deve agir por conta própria, com o melhor de sua capacidade.

A Rússia provavelmente nem será atingida pelo coronavírus porque mantém controles de fronteira, ao contrário da UE.

A Rússia não entende nada além de poder militar. Lavrov pode ser mandado para casa. E a UE deve ajudar a Turquia a derrotar a Síria e a Rússia.
  • Fotos usadas: https://www.flickr.com/
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
2 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Regis Off-line Regis
    Regis (Sergey Kopan) 3 March 2020 18: 49
    +1
    Mais um "amigo". A quem muito foi perdoado.
  2. sangue coagulado Off-line sangue coagulado
    sangue coagulado (Alexandre) 4 March 2020 08: 10
    0
    Estamos esperando por mais uma semana ou mais e .... é hora de declarar a Rússia em

    ... um terrível e tenebroso fluxo de refugiados fugindo da guerra e do sofrimento desumano na Síria, da guerra desencadeada pela Rússia selvagem e desenfreada ...