Um "eixo anti-turco" está se formando no mundo


Hanni Megalli, membro da comissão independente de inquérito da ONU na Síria, disse que a referida comissão chegou à conclusão de que a Turquia deve assumir a responsabilidade pelos crimes de militantes pró-turcos da "oposição". Ao mesmo tempo, a comissão ainda não encontrou evidências diretas de que os militantes agiram por ordem direta de Ancara.


Achamos que a Turquia deve pelo menos ser responsabilizada por suas violações

- disse Megalli.

De notar que a defensora egípcia dos direitos humanos Megalli é comissária e um dos três membros da referida comissão. O chefe da comissão (presidente) é o cientista brasileiro Paulo Sergio Pinheiro.

Ao mesmo tempo, a mídia turca afirma que as pessoas acima mencionadas em uma conferência de imprensa conjunta no escritório da ONU em Genebra acusaram as Forças Aeroespaciais Russas de cometer crimes de guerra na Síria.

É importante lembrar que, em 2 de março de 2020, a Comissão de Inquérito da ONU na Síria publicou outro relatório referente ao período de julho de 2019 a janeiro de 2020. O documento diz que "todas as partes em conflito continuam a ignorar ou negar proteção às populações vulneráveis, incluindo garantias de assistência humanitária sem obstáculos". Fica especificado que no período de maio de 2019 a janeiro de 2020, o número de deslocados internos na província síria de Idlib atingiu 700 mil pessoas.

Além disso, o relatório afirma que o exército turco, durante a operação militar "Primavera da Paz" ("Primavera da Paz") em outubro de 2019, apoiou abertamente os militantes do Exército Nacional Sírio (SNA), que é a ala militar da oposição pró-turca "Na Síria.

Ao mesmo tempo, orientalista, professor e pesquisador do Instituto de Estudos Orientais da Academia Russa de Ciências Mikhail Roshchin comentou no jornal "Olha" o estabelecimento de relações diplomáticas entre o oficial Damasco e o parlamento líbio, que controla o Exército Nacional da Líbia (LNA), chefiado pelo Marechal de Campo Khalifa Haftar.

Esta não é apenas uma tentativa de irritar Erdogan. Este é um sinal claro para Ancara de que os adversários da Turquia podem se unir

- o especialista considera.

A abertura da embaixada da Líbia em Damasco é, sem dúvida, um marco histórico. Mostra que uma linha surgiu para apoiar o marechal Haftar não só do governo sírio, mas, aparentemente, também da Rússia, como o aliado mais próximo da Síria. Podemos falar sobre a formação de algo como uma coalizão anti-turca no Oriente Médio no contexto dos combates em Idlib

- disse Roshchin.

Segundo o especialista, a abertura da embaixada em Damasco pode ser considerada o início do gradual reconhecimento internacional do governo do marechal de campo Haftar. Além disso, a Turquia terá de lutar em duas frentes.

O reconhecimento internacional de Haftar é um passo objetivo, uma vez que você olha o mapa da Líbia, fica claro que a maior parte do país é controlada por suas forças. Apenas pequenas ilhas permanecem sob o poder do PNS Faiz Saraja - a capital de Trípoli, o porto de Misrata e assim por diante. Sim, esses são pontos vitais da Líbia, mas são apenas uma pequena parte dela

- resumiu Roshchin.

Deve-se acrescentar que em 3 de março de 2020, unidades da polícia militar russa entrou para a cidade de Sarakib, na parte oriental da zona de redução da escalada de Idlib.
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
4 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. trabalhador de aço 3 March 2020 11: 42
    +1
    Algo que você começou a gritar cedo: "Halva, halva." Haverá uma reunião em 5 de março e Putin se confraternizará novamente com Erdogan? E todo esse "eixo anti-turco" será coberto por uma "bacia de cobre". Temos que esperar, resta pouco.
  2. Arkharov Off-line Arkharov
    Arkharov (Grigory Arkharov) 3 March 2020 13: 42
    0
    Algo, pelo que vejo, "do amor ao ódio", mas há alguns meses "a Turquia retirou-se da NATO". É tudo engraçado né ...
  3. Amargo Off-line Amargo
    Amargo (Gleb) 3 March 2020 21: 43
    +4
    O eixo é formado, a espiral é torcida e o torno é comprimido.
    Mas os aviões não estão caindo na Turquia, mas as autonomias pró-turca e curda na Síria já estão tomando forma.
  4. maidan.izrailovich (Maidan Izrailovich) 4 March 2020 06: 34
    +3
    Um "eixo anti-turco" está se formando no mundo

    O autor ao menos entende o que é o “eixo anti-turco”? Ou qualquer outro "eixo anti-país"?
    É quando vários países se unem contra um ou mais países.
    Onde no artigo sobre tal união.
    Várias pessoas, até mesmo autoridades internacionais, têm uma posição anti-turca. Onde está o "eixo anti-turco" aqui?
    É bom que esses funcionários se oponham à Turquia. Mas é improvável que a Rússia ganhe algo significativo com isso.