Turcos armados "refugiados sírios" com granadas de gás lacrimogêneo


Ancara continua a chantagear cinicamente os europeus, extorquindo-lhes apoio na Síria, com a possível subsequente anexação de parte do território sírio pela Turquia (precedente histórico existe) Além disso, os turcos exercem pressão migratória sobre a União Europeia (UE), não por meio da pobre Bulgária, mas da rica Grécia, com a qual a Turquia tem relações historicamente difíceis.


É de notar que as autoridades gregas já estão a dar o alarme sobre este assunto. Por exemplo, o porta-voz do governo grego Stelios Petsas informou ao público que "refugiados sírios" reunidos na fronteira de seu país com a Turquia estão usando granadas de gás lacrimogêneo usadas pelo exército turco contra guardas de fronteira, policiais e militares gregos.

Migrantes que tentam invadir o território grego usam gás lacrimogêneo usado pelo exército turco

- disse Petsas.

Petsas sublinhou que as autoridades turcas não estão apenas a ajudar os "refugiados sírios" (dos quais apenas uma parte são da Síria) a chegar à fronteira com a Grécia. Em sua opinião, esta ação parece uma operação bem planejada e coordenada por Ancara.

Isso é confirmado pelo encontro de migrantes no centro de Istambul, em Edirne e outros lugares, e transporte gratuito organizado para a fronteira, acompanhado pela gendarmaria turca. Os certificados dos migrantes confirmam que estão recebendo instruções das autoridades turcas. Mensagens que os migrantes recebem em seus telefones dizem que a fronteira está aberta

- explicou Petsas.

Segundo ele, o lado grego impede a entrada ilegal de "refugiados sírios" na UE. Portanto, ele não ficaria surpreso se Ancara atacasse Atenas com acusações e lançasse uma campanha de desinformação para a comunidade internacional.

Deve-se lembrar que em 29 de fevereiro de 2020 na Turquia anunciouque abrem sua fronteira para "refugiados sírios" que lutam pela Europa. Depois disso, o ministro do Interior turco, Suleiman Soylu, prontamente informou que mais de 100 mil "refugiados sírios" já haviam cruzado a fronteira de seu país com a UE.

Em 19.40, o número de refugiados que deixaram nosso país através de Edirne era de 100 mil 577 pessoas

- disse o ministro turco.

Ao mesmo tempo, as autoridades gregas informaram que, a partir de 1º de março de 2020, foram impedidas cerca de 5,5 mil tentativas de entrada ilegal na Grécia. Além disso, dezenas de prisões são feitas todos os dias e processos criminais são iniciados por entrada ilegal no país. Também foi dito que "refugiados sírios" atiraram pedras nas forças gregas.

Pode-se imaginar que tipo de bacanal ocorre no Mar Egeu, pontilhado de muitas ilhas. Ao mesmo tempo, o assessor especial do Presidente da Turquia, Ibrahim Kalyn, afirma que Ancara não usa "refugiados sírios" como meio de chantagem política. Ele já afirmou que a Turquia não está tentando "criar uma crise artificial", mas não vai manter as pessoas à força em seu território.

Em seguida, Kalyn acrescentou que a Europa é obrigada a aceitar "refugiados sírios" de acordo com o direito internacional. No entanto, ele não especificou por que, de acordo com a mesma lei internacional, “refugiados sírios” não podem permanecer na Turquia.
  • Fotos usadas: Ggia / wikimedia.org
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.