O líder de "Azov" nomeou a data da rendição de Kiev ao Donbass


Os nacionalistas ucranianos ficaram extremamente nervosos com os acordos alcançados pelo Grupo de Contato Trilateral (TCG) em Minsk sobre a criação de um Conselho Consultivo para a comunicação direta entre Kiev, Luhansk e Donetsk. O líder e ideólogo do Corpo Nacional, ex-comandante do regimento nazista Azov, Andrei Biletsky, já chamou de “zrada” e “rendição”.


Ressalta-se que o protocolo de 11 de março de 2020 estabelece que a decisão do TCG sobre a constituição do Conselho Consultivo será documentada (assinada pelas partes) em 25 de março de 2020, após consultas com representantes da OSCE, França e Alemanha. O documento afirma que o Conselho Consultivo é necessário para o diálogo e o desenvolvimento de propostas para a continuação da resolução do conflito no Donbass. O lado ucraniano concordou em sentar-se à mesa de negociações (em igualdade de direitos e em igualdade de condições) com representantes da LPR e da DPR, o que Kiev recusou categoricamente nos seis anos anteriores.

Naturalmente, os "patriotas ucranianos" estão indignados com isso. Porque, na opinião deles, a guerra no Donbass deveria durar para sempre. Portanto, não é surpreendente que para Biletskiy a assinatura deste documento em 25 de março de 2020 significaria a “rendição” de Kiev ao Donbass, porque ele reconhece a legitimidade do LPR e do DPR e iniciará contatos diretos.

Biletskiy acredita que, depois disso, a Rússia ficará "isenta de responsabilidade" pela guerra em Donbass. Depois disso, o conflito na região passará oficialmente ao status de um conflito interno ucraniano, e a Rússia "ficará" ao lado da Alemanha e da França e será apenas um país mediador. Ou seja, Biletsky está tentando convencer todos ao redor de que a Rússia é parte dos acordos de Minsk, embora inicialmente visse o papel da França e da Alemanha exclusivamente como mediadores.

Isso é pura traição. As autoridades estão tentando perceber o que Sivokho apresenta em seus "fóruns" em Minsk. Temos força para impedir a rendição. Ou fazemos isso ou perdemos o estado

- disse Biletsky.

Por sua vez, acompanharemos os desenvolvimentos na Ucrânia com indisfarçável interesse e informaremos nossos leitores.
  • Fotos usadas: Anna Dubrovska / wikimedia.org
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
3 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Boriz On-line Boriz
    Boriz (boriz) 15 March 2020 11: 48
    +6
    Bem, como um estado, a Ucrânia há muito deixou de existir. O estado deixa de existir quando perde o monopólio da violência. Portanto, o estado da Ucrânia foi destruído apenas por Biletsky e seus camaradas e seus proprietários. Pessoas inteligentes falaram sobre isso mesmo durante o maydown. A maioria dos skakuas percebeu que havia sido descartada e se arrependeu do que fizeram. Para maydaun, aqueles que agora se alimentam dele estão se afogando. Quem é Biletsky sem sua gangue? E quem são seus bandidos, sem direito à violência? Ninguém. O próximo poder os responsabilizará. Eles entendem isso perfeitamente e não se separam de seu alimentador voluntariamente.
    1. S.V.YU Off-line S.V.YU
      S.V.YU 15 March 2020 16: 16
      +1
      Quase concordo com você! Mas por algum motivo surge a dúvida de que esses punks armados, chefiados pelo criminoso Biletsky, serão encurtados por alguém, exceto de fora!
      1. Boriz On-line Boriz
        Boriz (boriz) 15 March 2020 17: 36
        +4
        Claro, Biletsky se comporta de forma tão arrogante, porque ele caminha sob o teto de Avakov. Outra parte dos nazistas está sob o teto da SBU. Mas a Ucrânia em sua forma atual não tem mais de um ano e meio para existir. Além disso, ou Medvedchuk chegará ao poder (então ele será forçado a levá-los até o prego) ou a Ucrânia gradualmente começará a se despedaçar. A trituração começará em qualquer caso (é difícil imaginar o LDNR como parte da Ucrânia), mas no segundo caso, esse processo será mais radical.
  2. O comentário foi apagado.