Exército dos EUA substituirá o "velho" Humvee por jipe ​​elétrico


O Exército dos EUA planeja substituir o velho Humvee por uma versão elétrica do Joint Light Tactical Vehicle. A compra de carros pode começar em um futuro próximo.


A opção pela tração elétrica deve-se ao fato de que o motor turbodiesel Banks 866T, que vem equipado com a versão padrão do JLTV, em um futuro próximo poderá passar de uma dignidade a um grave problema. Os militares americanos acreditam que, em conexão com a rápida transição do setor civil para os veículos elétricos, os carros com motores de combustão interna podem aumentar de preço significativamente, como, de fato, o próprio combustível.

Ao mesmo tempo, o Pentágono planeja comprar até 50000 JLTVs e operá-las por 20 anos. Consequentemente, o pico de preço mencionado acima pode afetar adversamente o custo do programa como um todo.


Segundo os militares, além do aspecto financeiro, a versão JLTV-EV apresenta uma série de outras vantagens. Em particular, será possível carregar veículos em condições de combate a partir de painéis solares ou reatores nucleares portáteis, sem esperar a chegada de um comboio com combustível, que corre o risco de ser interceptado por grupos de sabotagem inimigos.

Além disso, o motor elétrico é muito mais silencioso do que o diesel. Isso, por sua vez, dará ao jipe ​​uma vantagem tática ao dificultar sua localização.
  • Fotos usadas: https://www.marcorsyscom.marines.mil/
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
1 comentário
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. 123 On-line 123
    123 (123) Abril 28 2020 17: 19
    +2
    Bom carro. Perfeito Há outra vantagem de reduzir a dependência do infravermelho. sim Isso é só ...

    Em particular, será possível carregar veículos em condições de combate a partir de painéis solares ou reatores nucleares portáteis, sem esperar a chegada de um comboio de combustível, que corre o risco de ser interceptado por grupos de sabotagem inimigos.

    Duvido que a chegada de um comboio com reator nuclear portátil tenha que esperar menos, e o risco de sua interceptação por sabotadores está claramente subestimado. Quanto à presença do reator nuclear mais portátil, as tecnologias, é claro, não param, mas não ouvi nada sobre os desenvolvimentos americanos nesse sentido. É claro que existe uma organização lidando com essas coisas, mas o novo contrato Pentágono-Rosatom será percebido de forma ambígua. não



    Em geral, boa sorte para os galantes soldados americanos que carregam baterias de painéis solares, digamos, na Groenlândia, em longas noites polares. piscou