Especialista: a Síria está se tornando um "novo Afeganistão" para a Rússia


A Síria se parece cada vez mais com o mesmo pântano para a Rússia que o Afeganistão se tornou para a União Soviética, escreve o ex-diplomata indiano MK Bhadrakumar no Indian Punchline.


O autor do artigo destaca o fato de que o líder sírio Bashar al-Assad não é de forma alguma um protegido russo, e os interesses dos dois países nem sempre coincidem. O presidente da RAE está obcecado com a ideia de restaurar a soberania e integridade territorial de seu país. O Kremlin, ao contrário, persegue vários objetivos simultaneamente, inclusive aqueles não diretamente relacionados com a situação desta república árabe.

Em particular, a exibição de poder significou o retorno da Rússia pós-soviética ao Mediterrâneo Oriental, destacando a intenção de Moscou de desempenhar o papel de árbitro nos assuntos do Oriente Médio. Tudo isso também deveria servir como uma ponte para reconstruir relações rompidas com os Estados Unidos e a Europa.

Transformar a guerra em um "pântano", como aconteceu no Afeganistão, é a última coisa que Moscou deseja. No entanto, o exterior tem outros planos nesse sentido.

O autor observa que, em um discurso recente, o Enviado Especial dos EUA para a Síria se gabou abertamente de que sua missão é que as tropas russas eventualmente se retirem da região.

Essas declarações provocativas e ridículas deveriam ser tratadas com alarme em Moscou, acredita o autor. Por um lado, a Turquia e os Estados Unidos já bloquearam as chances de um triunfo militar na Síria para a Rússia, e por outro lado, Assad definitivamente não concordará com nada menos que uma vitória completa.

A sociedade russa nunca aceitará o cenário afegão na Síria, e todo o ponto da intervenção militar em 2015 será mais cedo ou mais tarde submetido a uma análise aprofundada se o impasse atual permanecer como está.

Ao mesmo tempo, o russo economia ficou sob pressão devido aos eventos após a pandemia de coronavírus Covid-19, que levou a uma queda acentuada na demanda de petróleo. Como resultado, as receitas de exportação de petróleo caíram significativamente.

Na verdade, a Rússia continua esperando uma participação construtiva dos Estados Unidos, mas Washington não está interessado em cooperar com Moscou. A Rússia é uma "entidade tóxica", diz o artigo.

Os EUA querem que a Federação Russa feche suas bases militares na Síria, por considerar inaceitável a presença russa no Mediterrâneo

- observa o especialista indiano.

Quanto mais cedo Moscou reconhecer essa realidade geopolítica, mais fácil será para os "ocidentais" dentre a elite russa se livrarem de suas ilusões, disse Bhadrakumar.
  • Fotos usadas: Ministério da Defesa da Federação Russa
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
14 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Fichário Off-line Fichário
    Fichário (Myron) 16 pode 2020 07: 16
    -3
    Este diplomata indiano de sobrenome impronunciável demonstra uma visão correta da situação.
    1. A.Lex Off-line A.Lex
      A.Lex (Informação secreta) 16 pode 2020 21: 17
      +1
      Miroon ... Bem, eu entendo por que esse índio escreve tantas bobagens ... Mas por que você precisa disso?
      Este ministro de "dois mestres" tem pelo menos dois conceitos errados sobre a presença da Federação Russa na Síria:
      1. Eliminação de bandos da Federação Russa a serviço de daish (proibido na Federação Russa) que veio para "se divertir".
      2. A oportunidade de mostrar sua força ao mesmo amepam (o que foi feito muito bem na hora).
      A isso se poderia acrescentar o desejo da liderança da Federação Russa, apenas de providenciar para a "cidade-sobre-uma-colina" este mesmo "Afeganistão" (o que, em parte, foi feito).
      E quanto ao "Afeganistão" para a Federação Russa ... temos APENAS duas bases lá, não mais de quarenta (como no DRA). Isso é o suficiente para estarmos PRESENTES lá ... apenas. Não estou falando do MTR - eles não têm bases permanentes lá.
      1. Fichário Off-line Fichário
        Fichário (Myron) 16 pode 2020 21: 40
        -1
        Você, meu bom senhor, escreveu um disparate completo, perdoe o velho por sua franqueza.
        A principal tarefa dos militares russos no primeiro. A Síria recebeu algo completamente diferente - impedir a construção de um duto de gás grosso do Golfo ao Mediterrâneo, para que os amigos de Putin da Gazprom não perdessem dinheiro com o surgimento de um forte concorrente no mercado europeu de gás. A situação agora mudou radicalmente e os lavradores russos ficariam felizes em sair do pântano sírio, mas este é um assunto muito complicado. Eles já não estão nem aí para Assad, e as bases não precisam de nafig - um aborrecimento, e a situação econômica da Federação Russa está se deteriorando a cada dia.
        1. A.Lex Off-line A.Lex
          A.Lex (Informação secreta) 16 pode 2020 22: 13
          0
          ..... sim ... como está tudo funcionando ... enganar
        2. andrew42 Off-line andrew42
          andrew42 (Andrew) 22 pode 2020 13: 06
          +1
          Não, sinto muito, é você, Bindyuzhnik, que está falando bobagem. Não temos nada a mexer com os interesses da oligarquia russa. Não há entusiasmo por eles, isso é verdade. Mas, além da nova nobreza, que agora estabeleceu o poder da Rússia, há também a própria Rússia, se não um estado, então um país. Eu sei o que você está querendo, como nos anos 90 nos programas de TV de Posner, para mudar sua barra de riso para usuários estrangeiros. Dudki! Nada vai sair disso. Já passamos por isso. E nós mesmos resolveremos isso com nossos bares, e a Síria não tem nada a ver com isso, e deixaremos os "democratizadores" ocidentais manterem distância por completo, caso contrário eles se enfurecerão, e não por "amor a Putin", mas pela Mãe Rússia.
  2. Valery Valeriev Off-line Valery Valeriev
    Valery Valeriev (Valery Valeriev) 16 pode 2020 10: 44
    +3
    Profetizar algo sobre a Rússia tornou-se a diversão de estúpidos estrategistas especialistas.
    1. Vamos lá cara Off-line Vamos lá cara
      Vamos lá cara (Garik Mokin) 16 pode 2020 19: 02
      -2
      Valery, mas você também tem uma "profecia", ou seja, uma visão de como-por-muito-tempo-Rússia. Se por muito tempo, depois “Afeganistão”, e se sairmos agora, sem mudar a situação, então “ora, entramos”. O autor está certo ...
      Você pode compartilhar como criar um “final feliz” para a Rússia na Síria?
      1. A.Lex Off-line A.Lex
        A.Lex (Informação secreta) 16 pode 2020 21: 21
        +4
        ... Americano Garik, esta é a Síria para você como o Afegão. Estamos lá ... apenas presentes. Você é como um vírus no planeta - você caga em todos os lugares onde não aparece ou onde não está presente.
  3. 123 Off-line 123
    123 (123) 16 pode 2020 12: 55
    +1
    Outro comerciante de encontros.
    1. A.Lex Off-line A.Lex
      A.Lex (Informação secreta) 16 pode 2020 21: 23
      +2
      123, não. Ele apenas trabalha para a amerov - basta olhar para suas publicações (onde quer que ele trabalhe ... inclusive na Federação Russa).
  4. ric Off-line ric
    ric (Vitaliy) 16 pode 2020 17: 39
    +4
    É melhor deixar esse especialista estudar o Kama Sutra. Os índios fazem isso bem.
  5. Observador2014 Off-line Observador2014
    Observador2014 16 pode 2020 20: 17
    -1
    Especialista: a Síria está se tornando um "novo Afeganistão" para a Rússia

    não E não há nada perto. Nenhuma subcultura surgiu sobre isso. "Caixões", se eles voarem para casa, serão compensados ​​com dinheiro. E isso é, talvez, o principal para que não haja motivo desnecessário para uma conversa. Os guerreiros mais próximos lá ... sim
    1. Amargo Off-line Amargo
      Amargo (Gleb) 17 pode 2020 19: 50
      +1
      "Caixões", se eles voarem para casa, serão compensados ​​com dinheiro. E isso talvez seja o principal ...

      Brrr ..., tudo isso são valores humanos universais, tudo em uma frase .. Perfeito
      Um monumento ao piloto falecido foi erguido na Síria, por quê? Amanhã, o regime mudará e novamente haverá queixas contra alguns turcomanos ou outra pessoa. Você tem que carregar o seu / levar consigo. Se você colocar seus monumentos em algum lugar, isso deve ser um sinal claro para todos - isso também é nosso, estaremos aqui para sempre. E não espalhar irmãos, como está na moda nos últimos 30 anos, ao mesmo tempo que os acusa de infidelidade. triste
  6. O comentário foi apagado.
  7. andrew42 Off-line andrew42
    andrew42 (Andrew) 22 pode 2020 12: 55
    +2
    O diplomata indiano não sabe absolutamente nada sobre a guerra do Afeganistão travada pelo contingente soviético na década de 80. Se eu soubesse, não me compararia à Síria de hoje. Primeiro, nos territórios da Síria, protegidos e libertados de bandidos e mercenários, a população é extremamente amigável com os militares russos. Ninguém atira nas costas, ao contrário das aldeias afegãs. Em segundo lugar, se Gorbachev não tivesse desmoronado a União Soviética e traído Najibullah (digo de forma simplista), não se sabe como a "missão afegã" soviética teria terminado - eles teriam ficado lá muito melhor do que os atuais americanos no Iraque e no Afeganistão, isso é certo. Em terceiro lugar, na Síria, os militares russos têm uma excelente oportunidade para testar novas armas e testar as habilidades / técnicas da guerra moderna. Esse aterro vale muito. Mais uma demonstração ao terceiro mundo de um exemplo ilustrativo de como os estados nacionais podem resistir completamente ao rude judiciário mundial. Em quarto lugar, e mais importante, a chegada da Rússia à Síria é uma poda severa de um dos tentáculos do Kaganate americano, que anulou os esforços de 20 anos dos "atlantes" para criar um único cinturão de estados pseudo-islâmicos fanáticos agressivos na coleira americana do Afeganistão a Tunísia. Todos os esforços dos hegemonistas americanos, desde a ocupação do Iraque até a derrota da Líbia, foram parados por uma única chegada da Rússia à Síria. Este é um golpe muito doloroso. Indiretamente, graças à teimosia da Síria e da Rússia, os estados independentes do Irã, Egito permaneceram e permanecerão, e lá a Líbia acabará por se libertar do laço ocidental. Não vou escrever sobre os interesses econômicos das partes - vai demorar muito. E essas são as consequências, não a causa principal. O principal é que o Kaganate americano não deu certo na Síria, Venezuela, Iêmen, Líbia, não deu certo no Afeganistão. Quando os tentáculos são cortados, o parasita começa a se devorar, - a fórmula "dinheiro - guerra - golpe de dinheiro" para de funcionar. Essa é a questão.