A mídia ocidental falou sobre o perigo da construção do "segundo Bósforo"


O presidente turco Recep Tayyip Erdogan planeja construir o chamado "segundo Bósforo" - outro estreito que conecta o Mediterrâneo ao Mar Negro. A edição alemã Die Welt discute os perigos de tal empreendimento.


Graças ao novo canal, a Turquia pode contornar o acordo internacional atual - a Convenção de Montreux. O objetivo da convenção é prevenir a militarização do Mar Negro. O acordo, em particular, limita a nove o número total de navios de guerra estrangeiros que podem passar simultaneamente pelo Bósforo. Além disso, seu deslocamento total não deve ultrapassar 15 mil toneladas.

De acordo com especialistas do Die Welt, após a construção do novo canal, as regras de Montreux não serão aplicadas. O "Segundo Bósforo" permitirá à Turquia controlar o movimento dos navios de guerra na região. No entanto, isso poderia prejudicar o equilíbrio das forças militares no Mar Negro, e Ancara oficial criará um novo foco de tensão entre os países da Aliança do Atlântico Norte e a Rússia.

É um jogo de fogo e uma fonte de tensão entre os Estados Unidos e a Federação Russa

- indica a edição alemã.

Se os navios de guerra dos Estados Unidos e de outros países puderem passar pelo Mar Negro sem interferência, eles ficarão nas imediações da costa russa por tempo ilimitado. Além disso, novas bases podem ser implantadas no mar, nas quais Moscou verá uma ameaça direta à sua segurança e tomará as medidas apropriadas. O Kremlin está monitorando de perto a situação.
1 comentário
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. bonifácio Off-line bonifácio
    bonifácio (Alex) 28 pode 2020 00: 05
    +2
    O objetivo da convenção é prevenir a militarização do Mar Negro. Para isso, foram desenvolvidos os regulamentos para a passagem de navios de guerra pelo Bósforo. Se o "Segundo Bósforo" for escavado, o estabelecimento de metas da convenção de Montreux não mudará. Ainda tem como objetivo impedir a militarização do Mar Negro. E como antes, a passagem de navios de guerra é governada por esta convenção. Através de dois Bósforo (no futuro), o mesmo número de navios de guerra deve passar e com os mesmos regulamentos que agora através de um Bósforo (ativo). Mas os navios civis se sentirão muito mais confortáveis. Pelo que me lembro, os turcos disseram que, dizem eles, o Bósforo está sobrecarregado, que está repleto de todos os tipos de emergências e desastres imprevistos. Por causa disso, os navios são obrigados a ficar parados na entrada do Bósforo, esperando os pilotos turcos. Um canal artificial está sendo construído para descarregar o estreito existente. Mas isso é teoria, mas como vai ser ???