Berlim chamou as relações com os EUA de "difíceis" e reconheceu a China como a futura superpotência


Nos últimos anos, as relações entre Berlim e Washington pareceram claramente tensas. Portanto, não é surpreendente que o ministro das Relações Exteriores alemão Heiko Maas criticou a liderança americana em uma entrevista para o jornal alemão Bild am Sonntag, abordando uma série de tópicos importantes.


Deve-se notar que quando o ministro alemão comentou sobre rumores sobre a intenção do Pentágono de retirar até 2020 mil soldados americanos da Alemanha até o outono de 15, ele chamou as relações de Berlim com Washington de "difíceis".

Somos parceiros próximos na aliança transatlântica. Mas é tão dificil

- o ministro disse.

Portanto, Berlim deixou claro para Washington que não aumentaria os gastos militares para 2% do PIB, conforme exigido pelo presidente dos EUA, Donald Trump.

O ministro frisou que Berlim tomou conhecimento da informação sobre a possível retirada de parte das tropas americanas da Alemanha.

Depois disso, Maas acusou Trump de populismo e polarização da sociedade americana durante os protestos nos Estados Unidos. Segundo o ministro alemão, o dono da Casa Branca, perseguindo jornalistas e chamando-os de "inimigos do povo", está tentando mobilizar seus apoiadores para reprimir o protesto.

Os democratas devem sempre reconciliar, não dividir a sociedade

- disse Maas, esquecendo que Trump é um republicano.

No entanto, ele lembrou que o racismo não está presente apenas nos Estados Unidos. Ele especificou que pelo menos 30 mil "extremistas de direita" vivem na Alemanha.

Depois disso, Maas chamou a China de uma futura superpotência e pediu aos países da UE uma estratégia comum para Pequim. Ele expressou esperança de que a cúpula UE-China, adiada devido à pandemia de COVID-19 para setembro de 2020, seja realizada antes do final deste ano.

A China é a futura superpotência, a China é o maior parceiro comercial da Alemanha. No entanto, não devemos limitar nosso diálogo com Pequim a econômico e questões comerciais

- disse o chefe do Ministério das Relações Exteriores da Alemanha.
  • Fotos usadas: https://www.flickr.com/
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.