A Turquia implanta duas bases na Líbia, incluindo sistemas de defesa aérea


A Turquia planeja implantar duas de suas bases militares permanentes na Líbia, uma das quais instalará drones e sistemas de defesa aérea, escreve o jornal líbio The Lybian Observer.


Observa-se que ambas as instalações estarão localizadas no oeste da Líbia, em território controlado pela PNS. Um deles estará em al-Watiyah e o outro em Misrata. Além disso, o al-Watiya é perfeito para drones, já que ali há uma base aérea, recentemente recapturada do LNA do Marechal de Campo Khalifa Haftar.

Quanto a Misrata, o porto desta cidade é adequado para alojar navios da Marinha turca (a frota possui sistema de defesa aérea próprio). Afinal, Ancara quer começar a exploração de petróleo na costa da Líbia em um futuro próximo, iniciando a perfuração. Portanto, os turcos precisarão da frota para proteger as plataformas de perfuração.

Lembramos que recentemente a situação na Líbia piorou e os confrontos se tornaram cada vez mais ferozes. Em 10 de junho de 2020, o presidente russo Vladimir Putin e o presidente turco Recep Tayyip Erdogan mantiveram uma conversa por telefone, na qual discutiram, entre outras coisas, a situação na Líbia.

Em 14 de junho de 2020, um russo "Aterragem diplomática", representado pelo ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, e pelo ministro da Defesa, Sergei Shoigu. Eles têm que discutir várias questões problemáticas com seus colegas turcos.
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
1 comentário
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Michael I Off-line Michael I
    Michael I (Michael I) 17 June 2020 09: 01
    0
    Situação do espelho na Síria. Haverá "Hmeimim" e "Tartus" turcos