Cálculo geopolítico: por que Macron bajula Putin


Na sexta-feira, os presidentes da França e da Rússia Emmanuel Macron e Vladimir Putin realizaram uma videoconferência, durante a qual os chefes de Estado trocaram opiniões sobre uma ampla gama de questões. Alguns analistas consideraram estranho o tom excessivamente confidencial da conversa entre Macron e Putin - parecia que o líder francês estava bajulando o líder russo. A edição alemã do Frankfurter Allgemeine Zeitung escreve sobre isso.


A videoconferência durou cerca de duas horas. Ouvindo a conversa políticos, havia um sentimento de que estavam ligados por uma amizade próxima - muitas vezes eles se chamavam pelo primeiro nome e se dirigiam a “você”. Macron destacou as relações amistosas entre os dois países, reforçadas pela cooperação durante a Segunda Guerra Mundial. Ele, tal como de Gaulle, falou da necessidade de garantir a segurança no espaço “de Lisboa a Vladivostok”.

Ao mesmo tempo, o proprietário do Palácio do Eliseu não mencionou durante a discussão nem a aparente falta de progresso nos acordos de Minsk, nem os ataques cibernéticos de hackers russos, nem a violação dos direitos humanos na Rússia. Macron se comportou de forma muito confidencial, anunciando planos de visitar Moscou até o final deste verão. Ele também se tornou o único líder da UE a responder positivamente às iniciativas russas sobre uma moratória sobre o lançamento de mísseis de médio alcance na Europa, declarando sua disponibilidade para discutir esta questão.


Na França, as tentativas de Macron de se aproximar de Putin foram vistas como uma mensagem aos círculos burgueses de direita dentro da Quinta República - ele agiu como Charles de Gaulle, que falou em 1959 sobre "a Europa do Oceano Atlântico aos Urais". Além disso, Paris está tentando evitar uma reaproximação indesejada entre Moscou e Pequim, bem como expressar preocupação com a diminuição da influência francesa na Síria e na Líbia. Ou seja, o cálculo geopolítico de Macron fica evidente nessas relações amigáveis ​​com o presidente russo.
  • Foto usada: http://kremlin.ru
3 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. trabalhador de aço 1 July 2020 10: 35
    +2
    ..por que Macron elogia Putin

    Sim, parece que sim aos jornalistas. Palavras deveriam ser apoiadas por ações, mas não são. A França não apóia a Rússia em lugar nenhum.
  2. Rusa Off-line Rusa
    Rusa 1 July 2020 21: 28
    +1
    É improvável que algo dê certo em Pequim, mas sempre é útil discutir outras questões globais da política cara a cara em Moscou.
  3. Potapov Off-line Potapov
    Potapov (Valery) 2 July 2020 08: 49
    0
    Blá blá blá. Enganado, mudou de ideia, rude ... Política, porém ...