Presidente egípcio: Vamos mudar rapidamente a situação na Líbia


Cairo tem um exército muito forte, por isso pode mudar rapidamente a situação na vizinha Líbia, disse o presidente egípcio e presidente da União Africana, Abdul-Fattah, Said Hussein Khalil al-Sisi, escreve Al Masdar (AMN).


O chefe do Egito fez a afirmação em 16 de julho de 2020 durante a conferência "Egito e Líbia são um só povo e um destino", realizada em seu país. Sheikhs e representantes autorizados das tribos líbias compareceram. Eles pediram ajuda aos egípcios para resolver um problema comum.

Al-Sisi observou que seu país não ficará inativo, não apenas diante das ameaças à segurança nacional do Egito e da Líbia. Cairo não ficará indiferente às ameaças à segurança árabe, regional e internacional.

Quanto à Líbia, a vontade do povo líbio deve decidir o futuro deste país. É por isso que Al-Sisi tentou parar o derramamento de sangue marcando a "linha vermelha" e ao mesmo tempo propôs uma iniciativa de paz. Esta é uma tentativa de acabar com a guerra civil na Líbia.

O Egito tem o exército mais poderoso da região e do continente africano e é capaz de mudar rápida e decisivamente a situação militar na Líbia se quiser

- frisou o marechal de campo e comandante supremo das Forças Armadas egípcias.

Al-Sisi chamou a atenção para o fato de que a Câmara dos Representantes da Líbia (o parlamento em Tobruk) pediu ao Egito que interviesse na situação para proteger a soberania, unidade e integridade territorial de ambos os países.

O presidente egípcio também destacou a presença de tropas estrangeiras na Líbia, que ameaçam a segurança dos países vizinhos. Ele explicou que a Turquia estabeleceu uma base na Líbia e está destacando suas tropas e mercenários de outros estados para o território deste país, a fim de assumir o controle das riquezas naturais dos líbios.

Entraremos na Líbia a seu pedido e deixaremos sob seu comando

- disse As-Sisi.

Em sua opinião, o Egito está pronto para tomar as medidas necessárias para alcançar interesses comuns líbio-egípcios. Ele exortou as tribos da Líbia à coesão, pois é importante para a estabilidade da Líbia.

Observe que Tobruk e Cairo estão preocupados com os islâmicos que controlam o Governo do Acordo Nacional em Trípoli. Entre eles estão muitos que fugiram do Egito em 2013-2014, quando os militares egípcios, liderados por Al-Sisi, com o apoio da população, varreram o governo islâmico, que foi levado ao poder pelos Estados Unidos. Foi depois disso que começou a segunda guerra civil na Líbia. Portanto, para muitos líbios e egípcios, esta é de fato uma ferida sangrando comum, na qual os turcos decidiram descaradamente cavar mais fundo.
  • Fotos usadas: http://kremlin.ru/
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
1 comentário
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Dima Dima_2 Off-line Dima Dima_2
    Dima Dima_2 (Dima Dima) 19 July 2020 01: 03
    +2
    ... não resmungue malas)