ECFR: Rússia dá um mau exemplo de difícil ação internacional


A pandemia de coronavírus trouxe regras novas e mais rígidas para o mundo política... A União Europeia está também disposta a falar ao mundo na "linguagem do poder", embora até agora, por uma série de razões, não o tenha feito. Esta opinião está refletida em um novo artigo publicado no site do Conselho Europeu de Relações Exteriores (ECFR).


Em particular, a revisão menciona que a China e a Turquia já adotaram um regime de comportamento mais rígido na arena global. Pequim mudou rapidamente da "diplomacia de máscara médica" (significando o fornecimento de grandes quantidades de equipamentos de proteção individual para países necessitados) para medidas muito mais agressivas.

Ancara, por outro lado, desdobrou suas tropas na Líbia e entregou armas ao governo internacionalmente reconhecido deste país, violando o embargo atual. Além disso, a fragata da Marinha turca se permitiu ameaçar um navio de guerra francês, que participou de uma missão da OTAN ao largo da costa da Líbia.

A publicação nota ironicamente que tanto os chineses quanto os turcos parecem estar adotando cada vez mais o comportamento russo na arena internacional - um mau exemplo é contagioso. Afinal, o Kremlin não apenas intervém nos conflitos na Líbia e na Síria, mas também mantém a Abkházia, a Transnístria, a Ossétia do Sul e o Donbass.

Uma perspectiva semelhante pode ser esperada na Líbia. [...] Com tanta facilidade óbvia, ultrapassando os limites do que é permitido, Moscou tornou esse comportamento cada vez mais atraente para outras potências também. A resposta tradicionalmente mansa do Ocidente às atividades diplomáticas, de propaganda e de inteligência russas mostrou claramente a qualquer pessoa que queira desafiar os Estados Unidos ou intimidar a Europa que pode se sentir livre

- anotado na revisão analítica.

A Federação Russa é acusada de uma série de ataques cibernéticos à infraestrutura civil de vários países, bem como da criação de "fábricas de trolls", que inicialmente eram usadas no mercado interno e depois entraram na arena internacional.

A Rússia e outras potências (China, Turquia, Irã e Israel são mencionados) se permitem agir dessa forma, argumenta o artigo, desde que os EUA e a UE o permitam.

Em termos de teoria pura, os líderes europeus parecem entender isso. Seu tom em relação à China e à Turquia endureceu. As sanções europeias contra a Rússia permaneceram em vigor. Fala-se em tornar a UE mais soberana geopoliticamente. Mas essa teoria ainda não foi traduzida em política concreta.

- diz o texto da publicação.

A União Europeia continua a temer a Rússia, pelo que, entre outras coisas, não tem pressa em encontrar países como a Ucrânia e a Geórgia.
  • Fotos usadas: kremlin.ru
5 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Yuri Nemov Off-line Yuri Nemov
    Yuri Nemov (Yuri Nemov) 20 July 2020 14: 18
    +2
    E os Estados Unidos, com sua pequena OTAN, ao longo de sua história deram um exemplo excepcionalmente bom de ações suaves e fofas.
    1. Xuli (o) Tebenado 21 July 2020 05: 17
      -2
      Se, em cada ocasião, você lançar as setas para "os Estados Unidos com sua OTAN de bolso", poderá comparar a quantidade e a "qualidade" de seus amigos e aliados com a dos amigos e aliados da Rússia.
  2. Oyo Sarkazmi Off-line Oyo Sarkazmi
    Oyo Sarkazmi (Oo Sarcasmi) 20 July 2020 15: 45
    +3
    Canibais em prostração - Rússia e China não querem ser uma fazenda de carne. E em outros países, a logística é brutalmente destruída.
    Se continuar assim, em breve os congressistas americanos terão que se contentar com carne defumada de afro-americanos.
  3. Dmitry S. Off-line Dmitry S.
    Dmitry S. (Dmitry Sanin) 22 July 2020 07: 25
    0
    Os hamsters estão indignados coletivamente.
  4. Bulanov Off-line Bulanov
    Bulanov (Vladimir) 22 July 2020 09: 43
    +2
    Bem, se a OTAN não tivesse bombardeado a Líbia e matado Gaddafi, então não haveria guerra lá agora ...