NYT: Russos forçaram Pentágono a intensificar patrulhas no leste da Síria


Os militares dos EUA relataram que os russos forçaram o Pentágono a aumentar suas patrulhas no nordeste da Síria, então a região enviei um adicional de 100 soldados, bem como veículos de combate de infantaria rastreados M2A2 Bradley, radares móveis da família Sentinel e helicópteros Apache, escreve o jornal americano The New York Times.


Mais de 500 soldados americanos em veículos blindados leves já estavam na região. Portanto, os novos reforços devem demonstrar a força e determinação de Washington, após o incidente, do que aconteceu no final de agosto, quando como resultado do toque técnicos feriu os militares dos EUA no International MaxxPro AFV na área de Deirik. Este incidente foi uma surpresa para o comando americano e aumentou as tensões entre as duas potências mundiais rivais na Síria.

O incidente permitiu que o Partido Democrata dos EUA criticasse ainda mais o presidente republicano Donald Trump por seu fracasso em conter a agressividade crescente da Rússia em relação ao Ocidente. Depois disso, foram enviados reforços para a Síria, o que coincidiu com a declaração de Trump de que as tropas americanas foram retiradas deste país, com exceção das áreas onde guardam campos de petróleo. Ao mesmo tempo, o dono da Casa Branca nem disse uma palavra sobre ajudar os curdos locais, aliados de Washington, que se opõem ao ISIS (uma organização proibida na Rússia).


De acordo com militares dos EUA, os russos estão cada vez mais em conflito com os militares dos EUA, violando assim o acordo previamente firmado (em dezembro de 2019) entre as partes - para ficar longe um do outro. A escaramuça levou a uma verdadeira guerra de palavras e recriminações, embora os próprios Estados Unidos tenham se retirado da maior parte da Síria, que estava sob seu controle até outubro de 2019, quando a Turquia lançou a operação militar Primavera da Paz.

Funcionários do governo dos EUA chamam as ações dos russos de "inseguras e pouco profissionais". Ao mesmo tempo, a versão russa dos acontecimentos contrasta fortemente com o que dizem os americanos. O principal é que os soldados feridos já foram submetidos a tratamento na Síria por concussão e voltaram ao serviço. Ao mesmo tempo, o comandante do CENTCOM, general Kenneth F. Mackenzie Jr., continua culpando os russos. Mas ele garantiu que os Estados Unidos estão prontos para qualquer surpresa na Síria e os militares têm tudo para se proteger.
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
1 comentário
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Dmitry S. Off-line Dmitry S.
    Dmitry S. (Dmitry Sanin) 21 Setembro 2020 05: 24
    +2
    Costumam se defender em seu próprio território, mas em um país estrangeiro a denominação é diferente: os ocupantes estão mostrando agressões à população local e ao aliado convidado por esta população.