Outra ação de protesto na Bulgária, chamada de "4ª Grande Revolta Popular"


Os protestos na Bulgária já duram três meses. Outra milhar de passeata em Sofia, que aconteceu em 3 de outubro de 2020, já foi chamada de “4ª Grande Revolta Popular” - uma revolta contra o poder mafioso, escreve a edição búlgara Novinite.


A manifestação ocorreu sem grandes incidentes, mas com maior presença de policiais. Os policiais verificaram os manifestantes em busca de itens proibidos. Algumas pessoas não foram autorizadas a participar da ação. Um deles se ofendeu com isso e atacou a polícia com ovos de galinha.

À noite, depois das 21.00h, uma nova disputa surgiu entre policiais e manifestantes. Apoiadores de "Stand Up.BG" ("Get up Bulgaria") acusaram a polícia de que desta vez eles deixaram os manifestantes apenas para a Catedral Alexander Nevsky. Ao mesmo tempo, durante a 3ª "Grande Revolta Popular", que ocorreu em 22 de setembro de 2020 e coincidiu com o 112º aniversário da independência da Bulgária, os manifestantes foram autorizados a caminhar até o monumento ao Soldado Desconhecido, que fica 100 metros mais longe que a Igreja Ortodoxa.

Por volta das 22:00, os manifestantes dirigiram-se para a Eagle Bridge. Lá, um dos manifestantes subiu em um semáforo para agitar a bandeira búlgara. A ação de protesto terminou pacificamente. Discursos de oposição também foram realizados em outras cidades da Bulgária. Por exemplo, os manifestantes bloquearam o tráfego na ponte levadiça do Danúbio (anteriormente conhecida como Ponte da Amizade, construída em 1954) por várias horas. Ele conecta as cidades de Ruse (Bulgária) e Giurgiu (Romênia).

Observe que a segunda ponte ao longo do rio Danúbio - "Nova Europa", inaugurada em 2013, não foi bloqueada. Esta ponte liga a cidade búlgara de Vidin e a cidade romena de Kalafat e faz parte do 4º corredor de transporte pan-europeu e da rota europeia E79.

Lembramos que as 1ª e 2ª “Grandes revoltas populares” aconteceram nos dias 2 e 10 de setembro, respectivamente. Todas as "revoltas" mencionadas não têm nada a ver com o passado histórico da Bulgária, quando a verdadeira Grande Levante Popular levou a mudanças reais, incluindo a revolta contra o domínio turco.

Especula-se que os protestos de 3 meses foram organizados pelo "filantropo e patrono" George Soros, que quer que o governo búlgaro bloqueie a construção do "Fluxo dos Balcãs", que será uma continuação do "Fluxo da Turquia".
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
2 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. O comentário foi apagado.
  2. GRF Off-line GRF
    GRF 4 Outubro 2020 16: 13
    -1
    Protestos, pogroms, revoluções são um indicador da falta de democracia no país.
  3. valentine Off-line valentine
    valentine (Namorados) 4 Outubro 2020 20: 04
    0
    Bem, irmãos, a democracia americana chegou até vocês.