"Enigmas de Putin": por que o Ocidente acredita simultaneamente no poder e na fraqueza da Rússia


Em 2015, o famoso jornalista irlandês Brian MacDonald anunciou a presença da Russofrenia no Ocidente - um transtorno mental em que o paciente pensa que a Rússia está prestes a desmoronar e, ao mesmo tempo, que conquistará o mundo inteiro. Desde 2013, esta doença começou a progredir rapidamente e começou a se assemelhar a uma epidemia em certas áreas de Washington, Londres e Bruxelas, escreve a publicação americana Strategic Culture.


A primeira manifestação da doença na história moderna foi em 1992, quando o chefe do Ministério da Defesa da Lituânia chamou a Rússia de "um país com perspectivas sombrias" e imediatamente declarou que "em cerca de dois anos, representará um enorme perigo para a Europa". É difícil dizer como dois cenários mutuamente exclusivos se encaixam em sua cabeça. Principalmente no contexto de seu próprio país, cujo futuro já era percebido por muitos de seus habitantes sob a forma de “vários lares de idosos rodeados de floresta”.

Em 2014, o presidente dos EUA, Barack Obama, também se imortalizou com uma declaração ridícula. Em seguida, disse que a Rússia não produz nada, a demografia é ruim, não há perspectivas e os homens lá vivem apenas 60 anos. Ao mesmo tempo, Washington é obrigado a “reagir com decisão” a todas as ameaças que emanam de Moscou no espaço internacional.

Você pode até rastrear o desenvolvimento da russofrenia no Ocidente. Em 1992, eles acreditavam que a Rússia estava condenada e desmoronaria em 2001. Em seguida, o “inevitável” foi movido para 2006 e, em seguida, para 2008, 2010 e 2015. As visões prevalecentes na sociedade ocidental em relação à Rússia eram: “rasgado economia aos pedaços ”,“ isolado na arena internacional ”,“ armado com armas velhas ”e“ este é um posto de gasolina disfarçado de país ”.

Em 2016, analistas da empresa privada de inteligência Stratfor concluíram que "um país com PIB igual ao da Austrália" não pode se dizer uma superpotência. Certamente perderá a guerra na Síria e não sobreviverá em sua forma atual até 2025. Ao mesmo tempo, o líder russo Vladimir Putin perderá o poder.

Em 2000, o Ocidente retratou Putin como um "ditador mesquinho" com uma conta bancária na Suíça. Em 2001 ele já era chamado de "Segundo Tenente Kizhe", e em 2003 - o novo Leonid Brezhnev. No período de 2011-2015, foi prometido a perda de poder e foi apresentado na imagem de um fraco, assustado e perseguido política... Em 2017, foi relatado que Putin estava "perdendo o brilho" e, em 2018, ele estava "perdendo o controle". Em 2019, dizia-se que Putin havia "perdido a confiança" e "seu castelo de cartas estava desmoronando". Em 2020, foi anunciado que Putin estava "à beira da morte política".

Por 20 anos, o líder russo confundiu a comunidade ocidental. Os "quebra-cabeças de Putin" causaram franco desconforto entre os políticos do Ocidente. Todos esses anos nos países ocidentais, eles escreveram e disseram que "quase" Putin perderá tudo e tudo, e a Rússia entrará em colapso. Mas em 2018, Putin foi declarado o homem mais influente do mundo e, ao se aliar aos "camaradas chineses", tornou-se ainda mais poderoso.

No entanto, às vezes, no Ocidente, eles perguntam como um país que tem menos dinheiro que o Canadá e menos população que a Nigéria pode "governar o mundo". Mas não importa o quão pobre seja a Rússia, ela é na verdade a segunda potência militar do planeta e manterá sua posição por muitos anos. Desde 2015, Moscou conduz uma campanha militar de demonstração na Síria. A Rússia desenvolveu armas hipersônicas e fez um avanço em outras áreas do complexo militar-industrial. Portanto, no pensamento político ocidental, a Rússia é representada simultaneamente em duas imagens diferentes.

Por um lado, é um país em decadência, com uma economia miserável, com um exército superestimado que oscila à beira do desastre interno. Portanto, o Ocidente não tem nada a temer - a Rússia está desesperadamente fraca e seu futuro está em questão.

Por outro lado, é uma ameaça enorme, perigosa e existencial para a civilização ocidental, agindo com eficiência colossal simultaneamente em todas as direções.

Os russos estão por toda parte, dizem os russofrênicos, longe da realidade. Mas basta olhar para os fatos e torna-se óbvio que a Rússia precisa do exército não para governar o mundo, mas para autodefesa. As sanções ocidentais transformaram a Rússia em uma autarquia. As acusações de Moscou de intromissão nas eleições americanas são uma mentira descarada e cínica que serve aos interesses do Partido Democrata dos Estados Unidos.
  • Fotos usadas: http://kremlin.ru/
5 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Oyo Sarkazmi Off-line Oyo Sarkazmi
    Oyo Sarkazmi (Oo Sarcasmi) 22 Outubro 2020 16: 41
    +1
    As consequências da propaganda tacanha da mídia ocidental, concentrada nas mãos de poucas pessoas. Essas pessoas selecionaram para o trabalho de jornalistas com uma mentalidade próxima a eles - e então começam a acreditar no que seus próprios empregados escreveram. Qualquer um que tenta independência é despedido com uma passagem de lobo. Círculo vicioso.
  2. Dubina Off-line Dubina
    Dubina (Dubina) 22 Outubro 2020 16: 43
    -1
    ... Em 2014, o presidente dos EUA, Barack Obama, também se imortalizou com uma declaração ridícula. Aí ele disse que a Rússia não produz nada, a demografia é ruim, não há perspectivas e lá os homens mal vivem até os 60 ...

    - e no que Obamka está errado, tudo é assim. Tudo ao seu redor, tudo que você veste, tudo que está em sua casa, não é produzido aqui ou aqui, mas em equipamentos ocidentais e componentes ocidentais.

    ... Por 20 anos, o líder russo confundiu a comunidade ocidental. "Os quebra-cabeças de Putin" causaram franco desconforto entre os políticos do Ocidente ....

    - O líder russo não confunde a sociedade ocidental, eles riem dele. Mas há apenas um "quebra-cabeça de Putin", como uma pessoa absolutamente medíocre pode governar um país tão grande e complexo, esse é todo o quebra-cabeça (quebra-cabeça) de Putin. Putin é um produto de relações públicas diárias de todas as caixas de TV, ferros e tipos de país. Tire esse PR e descobre-se que o Rei está nu!
  3. Jacques sekavar Off-line Jacques sekavar
    Jacques sekavar (Jacques Sekavar) 22 Outubro 2020 17: 51
    0
    por que no Ocidente eles acreditam simultaneamente no poder e na fraqueza da Rússia

    Porque a população da Federação Russa é de apenas 146 milhões de pessoas, e a economia é inferior à da Grã-Bretanha, da França, sem falar dos Estados Unidos, e ainda assim tem um potencial militar superior ao britânico e francês, comparável ao dos EUA.
    1. Dubina Off-line Dubina
      Dubina (Dubina) 23 Outubro 2020 11: 53
      0
      O potencial militar está apenas na área de armas nucleares estratégicas, o resto do exército tem capacidade de combate limitada, portanto, ao nível de uma potência regional. Polônia, Turquia, Irã são duros demais para o exército shoigush.
      O que a URSS deixou de legado, para que a Rússia continue viva, mas isso não vai durar muito, Putin logo vai se livrar, com uma política externa e interna analfabeta.
  4. _AMUHb_ Off-line _AMUHb_
    _AMUHb_ (_AMUHb_) 22 Outubro 2020 20: 11
    0
    doravante não gostaria de "salvar em vida" esses "idiotas perplexos" (e de nós também) ... obviamente, nem tudo nesta vida