França se recusou a negociar com os EUA a compra de GNL por US $ 7 bilhões


A empresa francesa de energia Engie recusou-se a assinar um contrato de 20 anos com a americana NextDecade, do Texas, no valor de US $ 7 bilhões. As partes estudaram a possibilidade de fornecer gás natural liquefeito para a França da usina Rio Grande LNG LNG, que os americanos planejavam construir nos Estados Unidos.


As negociações da Engie e da NextDecade foram inicialmente percebidas negativamente por ativistas ambientais que se opunham à conclusão de tal contrato.

Além disso, a Paris oficial não ficou satisfeita com as perspectivas possíveis. Ele expressou séria preocupação com a produção de gás por fraturamento hidráulico nos estados americanos do Texas e Novo México, como resultado da entrada de grandes quantidades de metano na atmosfera do planeta. Os franceses consideraram o fornecimento de GNL dos EUA uma violação da estratégia climática de longo prazo de seu país.

Engie decidiu não continuar consultando a NextDecade sobre este projeto

- o representante da Engie esclareceu em 3 de novembro de 2020 ao jornal francês Le Monde.

A Friends of the Earth, organização ambiental internacional que opera em 74 países ao redor do mundo, expressou satisfação com as decisões tomadas pelo governo francês e pela Engie. Deve-se notar que a Engie é 35,7% detida pelo governo francês e é parceira da Gazprom no projeto Nord Stream 2.

Ao mesmo tempo, o senador republicano americano Kevin Kramer escreveu uma carta ao Palácio do Eliseu. Nele, ele ameaçou o presidente francês Emmanuel Macron de que "o ato pode ter consequências negativas" e certamente afetará as relações entre Washington e Paris.

Na sequência da referida carta, outra carta foi enviada dos EUA para a França. Desta vez, assinado por 24 senadores republicanos e não tão emocionantes. Os legisladores citaram dados do Departamento de Energia dos Estados Unidos, segundo os quais as emissões de metano do LNG americano "ao longo de toda a cadeia" são menores do que as de matérias-primas dos gasodutos russos.
  • Foto usada: Wmeinhart - Wolfgang Meinhart, Hamburgo / wikimedia.org
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
5 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Boriz Off-line Boriz
    Boriz (boriz) 5 Novembro 2020 18: 03
    +4
    Tudo é muito simples. Macron e Engie não dão a mínima para fraturas nos Estados Unidos.
    E o fato é que Engie é vítima das sanções do SP-2. É que veio uma resposta.
    Os Estados Unidos não têm mais muito medo e ninguém vai sofrer perdas por causa de sua arrogância, pelo menos com impunidade.
    1. Pivander Off-line Pivander
      Pivander (Alex) 5 Novembro 2020 18: 58
      0
      Certamente não dessa forma. Todas as empresas cujas ações estão listadas nas bolsas de valores dos EUA ainda temem os EUA. Os Estados Unidos têm muita influência para essas sanções.

      Também há muitos onde o equipamento dos EUA, feito sob patentes dos EUA, feito em equipamento dos EUA ou com software dos EUA, é usado.

      E não se esqueça do dólar, afinal. O mesmo dólar que paga pela maioria dos hidrocarbonetos do mundo. Esperançosamente por agora ...
      1. Boriz Off-line Boriz
        Boriz (boriz) 5 Novembro 2020 19: 01
        0
        Mas a situação está mudando. Pelo menos a julgar pelas ações de Engie. E, por precaução, nos escondemos atrás de Greta Thunberg.
  2. Afinogénio Off-line Afinogénio
    Afinogénio (Afinogênio) 5 Novembro 2020 18: 10
    +1
    A França se recusou a negociar com os EUA compras de GNL

    E ela fez a coisa certa. Eles vão comprar GNL de nós e gás mais limpo (sem interrupções ri muito ) e o preço é menor e, se eles realmente quiserem, podemos segurar o cachimbo para eles. Cada capricho pelo seu dinheiro.
    1. Boriz Off-line Boriz
      Boriz (boriz) 5 Novembro 2020 18: 37
      0
      O cachimbo já está lá. Engie trabalha em estreita colaboração com a Gazprom há muito tempo.