Na luta pelas mentes do povo da Rússia, vale a pena levar em conta a experiência soviética


В ultima vez mencionamos que a promoção de estrelas pop ocidentais entre os jovens soviéticos, incluindo The Beetles, foi uma das razões para o colapso da URSS. Parece paradoxal, é claro, mas na realidade tudo é simples: talentosos performers europeus e americanos, sem sequer pensar em servir a objetivos políticos, criaram uma imagem atraente de países estrangeiros para o público-alvo soviético.


E a oposição à "propaganda inimiga" por parte da direção do nosso país, infelizmente, só intensificou esse efeito. Como Butusov cantou mais tarde em "Goodbye, America", "nós fomos ensinados a amar seus frutos proibidos por tanto tempo." No final, depois de ganhar impressões, a maioria das pessoas decidiu: "Queremos que sejamos como os deles." E quando perceberam que "eles" não são tão rosados ​​quanto pareciam à primeira vista, era tarde demais.

Mas, para ser justo, vale dizer que nem mesmo são os próprios Beatles, Pink Floyd ou qualquer outra coisa. Se nossa elite partidária fosse mais flexível em termos de pensamento e não se opusesse à "propaganda inimiga" de maneira tão desajeitada, o fascínio da juventude soviética pelos talentos ocidentais não prejudicaria. Pelo menos, não teria produzido o efeito que ocorreu na realidade. Afinal, digam o que se diga, o mesmo "Liverpool Four" é realmente uma arte capaz de trazer à tona o "razoável, gentil, eterno" em uma pessoa.

E hoje na imensidão da internet, nas telas de TV e nas ondas das rádios, o show business manda na bola, o que, claro, não é arte. É um produto voltado para o consumidor que às vezes satisfaz os mais básicos instintos humanos. É por isso que ele é uma ameaça. Por mais patético que pareça, estamos falando de uma ameaça à soberania nacional. Vamos descobrir o porquê, mas vamos começar um pouco de longe.

Do fato de que alguém, talvez, pergunte: “O autor pendura rótulos? Existe algum critério objetivo pelo qual o show business possa ser distinguido da arte? "

O fato é que existe. Distinguir um do outro nem sempre é fácil, mas possível. E o critério objetivo aqui é que a arte faz uma pessoa pensar e experimentar sentimentos verdadeiramente profundos - reais e, portanto, nem sempre alegres e brilhantes de uma maneira justa. Ao mesmo tempo, o produto do show business apenas desliza na superfície, sem tirar o consumidor da zona de conforto. Sua tarefa é ganhar mais, e para isso é melhor não sobrecarregar o consumidor. Com isso, as estrelas do palco atual, nossas e estrangeiras, são bem passíveis de serem ouvidas enquanto bebem uma cerveja e se posicionam horizontalmente no sofá.

Mas com os clássicos, por exemplo, esse número não funcionará. Você pode, é claro, tentar, mas penetrar profundamente não funcionará. Mesmo a obra dos Beatles, apesar da leveza externa, exige uma certa reflexão. Mas dificilmente alguém vai refletir sobre o trabalho de Baskov ou Stas Mikhailov. Pelo menos com uma cabeça sóbria. Sim, eles, na verdade, não escrevem seus hits por causa disso.

Então, qual é o perigo que o show business pode representar para nosso povo, especialmente em termos de perda da identidade nacional, que pode ser chamada de soberania cultural? E esse perigo existe em algum lugar diferente da imaginação do autor? Existem todas as razões para acreditar que existe.

Tudo é extremamente simples novamente. Cada um ou quase cada um de nós prestou atenção em quão semelhantes em conteúdo e forma são as "faixas" modernas (são cada vez menos chamadas de canções). Além disso, essa semelhança, como no vestuário, muitas vezes não tem fronteiras nacionais. A criação de "mega-hits" está acontecendo nos mesmos padrões em todo o mundo.

Certa vez conversei com uma professora de canto em uma escola de música infantil e, entre outras coisas, perguntei em uma conversa o quão talentosa é a atual geração de seus alunos. Ela respondeu que está tudo normal: há tanto caras muito talentosos quanto aqueles que são preguiçosos ou que mal conseguem puxar o programa. Sua porcentagem não muda de ano para ano.

Mas com o tempo, disse ela, torna-se um problema que os jovens vocalistas cantem cada vez mais inconscientemente, usando a maneira inerente à cultura vocal americana ocidental. E é quase impossível afastá-los disso, porque simplesmente reproduzem na prática o que ouvem na performance de seus ídolos.

Parece que isso é apenas um detalhe, mas o diabo, como você sabe, está oculto justamente nesses detalhes. E, para confirmar a veracidade do que disse a professora, basta ir aos espaços abertos do YouTube e ouvir como os blogueiros mais populares entre os jovens se comunicam com seus espectadores.

Não vamos nos vingar de tamanho único, mas muitas vezes depois de assistir seus vídeos, fica a impressão de que você está assistindo a uma tradução dublada do inglês. Além disso, com a preservação de todas as entonações da língua inglesa ou, melhor, americana. Como diz o ditado, não há necessidade de derrotar um país por meios militares se você pode impor seu próprio código cultural a seu povo.

E "pop", não só musical, aliás, a esse respeito é um instrumento muito conveniente. O que, além de impor valores alheios, também embota seu consumidor. Ou alguém pensa que você pode ouvir Buzova e assistir Katya Klap sem consequências na forma de sua própria degradação?

Uma pessoa viciada em música pop rapidamente se transforma em representante de uma enorme massa sem rosto, que é muito fácil de controlar. Nossos comícios de "protesto" são um exemplo vivo disso. Com que abnegação as pessoas aplaudem às vezes os mais perfeitos disparates, que são transportados para megafones pelas "tribunas das ruas"! Será porque o mesmo absurdo está entrando em seus ouvidos por meio de fones de ouvido e rádios?

Vale a pena mencionar separadamente que a música pop pode carregar uma certa comitiva “nacional”, que, entretanto, não vai além do nível de “matryoshka-putin-balalaika”. Embora você ainda possa encontrar muitas pessoas que acreditam sinceramente que Babkina e o "Golden Ring" executam música folclórica russa, a série de desenhos animados "Three Heroes" tem uma relação real com nossos épicos.

Mas como resistir a todo esse fluxo, o leitor perguntará? Encontraremos a resposta à pergunta de Mikhail Zhvanetsky, que agora nos deixou, que, apesar de todas as suas críticas à URSS, uma vez observou um fato muito interessante. No palco soviético, disse Mikhail Mikhailovich, simplesmente não havia pessoas sem talento. Porque naquela época as autoridades, embora cometessem muitos erros, realmente trabalhavam para educar seus cidadãos.

De fato, nos anos soviéticos, performances dramáticas, óperas, balé, noites literárias com a participação de clássicos vivos estavam na ordem das coisas na televisão central ou no rádio. E havia gente suficiente vivendo em pequenas cidades e vilarejos que sabia sobre novidades literárias e teatrais, apenas assistindo à TV em casa.

Alguém dirá que mesmo nas condições modernas, com a presença da Internet, não há problemas para aderir à alta arte. Bem, isso é verdade, mas apenas parcialmente. Pois em termos de acessibilidade, a arte no mundo moderno não está nem perto de competir com o show business.

Porém, um dia, ainda assim, viveremos a ponto de nossas autoridades se preocuparem seriamente com o problema da degradação cultural que a Rússia está passando agora e, em vez de belas palavras, passarão à ação. E então eles se depararão com uma tarefa formulada de forma extremamente clara: restringir de maneira suave, mas consistente, o acesso ao espaço público para pessoas que não podem dar nada além de vulgaridade a seus fãs, e tornar a arte erudita, e acima de tudo a arte russa, verdadeiramente acessível para cada habitante de nosso país.

Tendo aprendido a trabalhar com seu povo, o estado aprenderá a defender seus próprios valores na arena internacional, onde a cultura russa pode se tornar uma das forças motrizes mais importantes de nossa estratégia de "poder brando". E aqui a experiência soviética, rica em realizações e erros, que deveriam ter sido evitados no futuro, será muito útil.

Para continuar ...
14 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Sergey Tokarev Off-line Sergey Tokarev
    Sergey Tokarev (Sergey Tokarev) 11 Novembro 2020 08: 12
    +1
    O Dr. Goebbels ensinou como esfregar bobagens em seus ouvidos, muito antes da música pop ... o blogueiro Navalny usa seus métodos. E sob a URSS havia as mesmas canções populares ... balalaikas e canto coral russo não incomodavam. Os georgianos em trajes russos se apresentariam sobre bétula no campo? então todos os tipos de rotars, pugachevs, vaikule e outros tocaram com canções sobre nada ... e agora os produtores georgianos revelam o tópico de seios ucranianos nos palcos russos com canções simples.
  2. Sergey Latyshev Off-line Sergey Latyshev
    Sergey Latyshev (Sarja) 11 Novembro 2020 09: 21
    -2
    Oh, eles puxaram a coruja para o globo ...
    Quem é melhor é imitado. E o showbiz puxa tudo do Ocidente, desde músicas até letras e ideias para shows.
    O dinheiro do Estado é gasto em filmes não lucrativos, centros Yeltsin e promessas

    Uma luta por mentes? O dinheiro não tem cheiro - essa é toda a luta.
    "Otimize" as pensões dos aposentados e torne-se milionário.
    Endogan era um assassino, inimigo e terrorista - ele se tornou um parceiro e colega.
    Eles prenderam 33 heróis - em um grito, vamos tirar o pai, expulsar o espancado - eles esqueceram e jogaram dinheiro no pai ...
  3. russo Off-line russo
    russo 11 Novembro 2020 09: 35
    -5
    Não há nada a considerar ... Para suportar apenas e acreditar que destruição é estabilidade
  4. Oleg Rambover Off-line Oleg Rambover
    Oleg Rambover (Oleg Pitersky) 11 Novembro 2020 09: 57
    -4
    arte principalmente russa

    Essa "arte russa" existe? De forma que sem um grama da influência do "Ocidente".
    Eu me pergunto quantos anos o autor tem. O artigo é como o resmungo de um velho.
    1. enfadonho Off-line enfadonho
      enfadonho 11 Novembro 2020 13: 26
      0
      Ela existe, mas está debaixo do tapete desde os tempos de Romanov.
      Esperar. Renascimento russo está chegando
      1. Oleg Rambover Off-line Oleg Rambover
        Oleg Rambover (Oleg Pitersky) 11 Novembro 2020 14: 53
        -3
        Estou ansioso para isso. Eu me pergunto o que é a arte russa sem uma gota da influência perniciosa do Ocidente.
    2. ASK.21.07 Off-line ASK.21.07
      ASK.21.07 (Artyom Karagodin) 11 Novembro 2020 23: 01
      +2
      Você está exagerando em vão, Oleg. Não se trata do grama da influência do "Ocidente" e nem dos resmungos da velhice. Ainda estou longe da velhice. Trata-se de tirar o show business do espaço público o máximo possível.

      E a arte genuína não fará mal nenhum, como você observou corretamente. É que se deve dar preferência, relativamente falando, a Pushkin, Tchaikovsky e Surikov, e só então a Shakespeare, Vivaldi e da Vinci. Afinal, mesmo nas escolas (pelo menos na época em que estudei lá, ou seja, em 1994-2005), a prioridade é dada à história da Rússia, e não à mundial. O que, na minha opinião, é bastante lógico.
      1. Oleg Rambover Off-line Oleg Rambover
        Oleg Rambover (Oleg Pitersky) 12 Novembro 2020 00: 07
        -4
        É simples quando começam a canção “havia gente na nossa época, não como a tribo atual”, me parece que não é um jovem falando. De qualquer forma, a julgar pelos indescritíveis sinais, a experiência soviética não foi particularmente bem-sucedida.
        Em relação a Pushkin, Tchaikovsky e Surikov, o que você entende por arte russa? Todos eles são herdeiros da cultura europeia. Depois de Pedro, o Grande, é geralmente difícil falar sobre arte tipicamente russa, e ainda mais depois de 70 anos de poder soviético.
        1. ASK.21.07 Off-line ASK.21.07
          ASK.21.07 (Artyom Karagodin) 12 Novembro 2020 00: 59
          +1
          Bem, você não pode ser tão unilateral! Houve uma experiência bem-sucedida, também houve erros de cálculo, sobre os quais veja acima. E por arte russa não se deve entender apenas a arte popular, em primeiro lugar, e em segundo lugar, o mesmo Pushkin, Gogol, Glinka, Borodin, Surikov e outros foram inspirados precisamente em modelos populares. Você não vai argumentar que "La Traviata" e "Ivan Susanin" não têm características nacionais, vai?

          Nossos grandes, é claro, também são herdeiros da cultura europeia, mas precisamente esses herdeiros, e não imitadores cegos. E você não deve pensar que depois de Pedro e os bolcheviques nós deixamos de ser diferentes dos europeus. Eu não acho que você mesmo vai afirmar isso.

          E, em geral, estamos nos afastando com confiança do tópico da publicação. Já o discurso ali não foi sobre “abaixo tudo que é estrangeiro”, mas sobre o fato de o show business ser uma forma de brincar, e pronto, só descer com isso. E sobre a diferença entre a cultura da Europa Ocidental e da Rússia - uma longa, obviamente não para discussão nos comentários.
          1. Oleg Rambover Off-line Oleg Rambover
            Oleg Rambover (Oleg Pitersky) 12 Novembro 2020 11: 39
            -3
            Citação: ASK.21.07
            houve uma experiência bem-sucedida, também houve erros de cálculo, sobre os quais veja acima.

            Em um respingo, eles perderam a "batalha pelas mentes". E em grande medida por causa das proibições.

            Citação: ASK.21.07
            Você não vai argumentar que "La Traviata" e "Ivan Susanin" não têm características nacionais, vai?

            Não sou muito bom em óperas, e La Traviata não é uma ópera italiana? Não sei se a ópera "Ivan Susanin" tem características nacionais, mas este é provavelmente o primeiro exemplo da propaganda russa, "Uma Vida para o Czar".

            Citação: ASK.21.07
            Nossos grandes, é claro, também são herdeiros da cultura europeia, mas precisamente esses herdeiros, e não imitadores cegos.

            Como algum tipo de herdeiro Bairon ou Dumas, e não um imitador cego.

            Citação: ASK.21.07
            E você não deve pensar que depois de Pedro e os bolcheviques nós deixamos de ser diferentes dos europeus. Eu não acho que você mesmo vai afirmar isso.

            Sim, concordo, não éramos muito diferentes antes.

            Citação: ASK.21.07
            Já o discurso ali não foi sobre “abaixo tudo que é estrangeiro”, mas sobre o fato de o show business ser uma forma de brincar, e pronto, só descer com isso.

            Pessoalmente, não gosto da ideia de que os cidadãos da Federação Russa são uma manada irracional e devam ser guiados na direção certa por alguns cães. Assim, você pode perceber que o estilo dos covardes será determinado pela lei federal. Apenas educação. O estado tem um instrumento como uma escola. Ou nos canais de TV estatais, em vez de 5 minutos de ódio, ou melhor, 1.5 horas de histórias sobre como tudo está ruim na Ucrânia, ganhe uma hora de ópera.
            1. ASK.21.07 Off-line ASK.21.07
              ASK.21.07 (Artyom Karagodin) 12 Novembro 2020 17: 45
              +2
              Apenas educação. O estado tem um instrumento como uma escola. Ou nos canais de TV estatais, em vez de 5 minutos de ódio, ou melhor, 1.5 horas de histórias sobre como tudo está ruim na Ucrânia, ganhe uma hora de ópera.

              E eu sou a favor, como dizem em Odessa? Afinal, o dinheiro do Estado não pode ser gasto no cinema dos Zvyagintsevs e seus camaradas, mas em algo mais patriótico e de alta qualidade. Afinal, eu nunca disse uma palavra sobre cães que precisam ser guiados, e nem mesmo quis dizer isso. Este gato preto definitivamente não estava e não está na sala))).

              Quanto a "Uma Vida para o Czar", ouça como quiser. A comparação com "Traviata" aqui foi para o fato de que qualquer arte, se é arte, tem características nacionais. E o mesmo Verdi é muito diferente de Mozart e Bizet. Eu simplesmente não defini claramente essa ideia. Mas, entrando neste tópico, parece que começamos a falar sobre detalhes e nos apegamos às palavras. Eu preciso fazer isso))?
        2. Arkady Medvedev Off-line Arkady Medvedev
          Arkady Medvedev (Arkady) 14 Novembro 2020 14: 23
          +2
          Colegas, acrescentarei uma nota de reconciliação à sua disputa. Nossos curadores de arte do Partido Comunista da União Soviética esqueceram (ou talvez não soubessem) a frase do grande poeta francês Alfred de Musset:

          Os grandes artistas não têm pátria.

          Eles deliraram que uma pessoa educada no código do construtor do comunismo certamente rebitaria obras-primas de classe mundial. Além disso, eles foram guiados exclusivamente por seus próprios gostos e preferências. Por isso não deixaram entrar amostras da cultura ocidental no país, embora devessem ser guiados por mais um postulado:

          Não pode haver arte patriótica ou ciência patriótica.

          Johann Wolfgang Goethe (1749 - 1832), poeta alemão.
  5. valentine Off-line valentine
    valentine (Namorados) 11 Novembro 2020 10: 28
    +3
    De alguma forma eles me trouxeram um disco com os Beatles do exterior, e foi em algum lugar em 1964, eu toquei várias vezes, e me pareceu tão ou mais, mas meu colega de casa, tendo aprendido sobre essa "obra-prima", ficou comigo Dei a ele esse registro, então ele olhou para ele com tanta reverência, virou-o, leu e releu na língua inglesa, na qual havia um carvalho, e ele tinha um rosto tão feliz que eu rolei de tanto rir, e só quando ele Eu coloquei no meu toca-discos, então havia um viciado lá, com tanto espanto que ouvia todas as músicas, embora não entendesse uma palavra. E quando o primeiro jeans Wrangler foi trazido para mim do exterior, ele me pediu para deixá-lo usá-lo, depois havia canetas esferográficas importadas, chicletes, que ele também me implorava - o principal para ele era que as mercadorias de que precisava eram produzidas no exterior e tinham etiqueta estrangeira ... Aí ele mesmo começou a comprar e vender essas porcarias por trás hillock ainda não consigo entender porque eu, e muitos de meus amigos, este tov O lixo aromático estava em um tambor grande, e dava pra ele só estrangeiro, e até lixo usado, mas só com um lindo adesivo importado, e não estou falando da qualidade das coisas, ele não ligava muito para isso. Ou talvez eu fosse tão "furo", até a medula dos meus ossos, que aos 17 anos eu era indiferente a roupas estrangeiras? Não sei como ninguém, mas estou até cansado de ver os anúncios e outdoors de hoje em inglês e nas ruas, e nas lojas, e em alguns escritórios, nós temos nosso próprio idioma bonito, russo, simples e compreensível para nós, russos, e todos nós estamos nos exibindo, você está cultivando o russo.
  6. Zinovy Off-line Zinovy
    Zinovy (Zinovy) 30 Novembro 2020 08: 28
    0
    "Experiência da URSS" e levou ao colapso da URSS.