Biden pode escolher uma estratégia diferente para Nord Stream 2


A luta dos EUA contra o gasoduto russo Nord Stream 2 tornou-se um dos símbolos da presidência de Donald Trump. No entanto, seu ardente adversário Joe Biden foi proclamado vencedor nas últimas eleições, com a possível chegada à Casa Branca que depositam algumas esperanças de uma mudança na posição americana sobre este projeto energético. Quão justificado é isso?


A construção do oleoduto offshore foi congelada há quase um ano depois que o presidente Trump assinou novas sanções anti-russas como parte do orçamento de defesa dos EUA. O empreiteiro suíço instantaneamente “enrolou as hastes” e tirou seus recipientes de colocação de tubos fora do caminho. O presidente Putin prometeu concluir sozinho a construção do gasoduto, para o qual o "Acadêmico Chersky" foi trazido do Extremo Oriente, mas a carga, infelizmente, ainda está lá. O navio não pode operar em águas dinamarquesas sem seguro internacional, e a expansão das sanções americanas contra o lado alemão tornará a operação completamente impossível.

Os resultados mistos das eleições nos Estados Unidos deram oportunidade para animar em Berlim. O partido cada vez mais popular "Alternativa para a Alemanha" saiu no Bundestag com uma proposta para apoiar o Nord Stream 2, até e incluindo a conclusão do oleoduto por empresas alemãs. A empresa de energia alemã Uniper interrompeu a construção de outro terminal de GNL, que foi ativamente pressionado por Donald Trump. O motivo anunciado foi a diminuição da demanda de gás, mas talvez esse não seja o único motivo. A francesa Engie também fez o mesmo, adiando a assinatura de um contrato de US $ 7 bilhões para a importação do GNL americano.

Pode-se presumir que durante a crise política nos Estados Unidos, Berlim e Paris indicam, assim, suas posições nas futuras negociações. Digamos que, se Trump for embora, finalmente em dezembro ele não vai impor as sanções mais duras contra o Nord Stream 2, e o novo Joe Biden não vai começar a agravar as relações com os países líderes da União Europeia. Há alguma lógica nisso, mas esta não é toda a verdade.

E a verdade é que tanto os republicanos quanto os democratas nos EUA se opõem à estreita cooperação da Rússia com a Europa no setor de energia. Se Donald Trump impôs o caro GNL americano ao Velho Mundo para apoiar seus exportadores e reduzir a competitividade das empresas europeias, Joe Biden proclamou um curso para a transição para fontes de energia renováveis ​​como parte da campanha de combate às mudanças climáticas. Um programa específico chamado Revolução de Energia Limpa foi criado com um orçamento potencial de US $ 1,7 trilhão.

O que está acontecendo nos Estados Unidos está sendo observado de perto na União Européia. Assim, outro dia na edição alemã do Bild publicou um artigo de Julian Repke, que, citando suas fontes no campo do Partido Democrata, afirma que sob Joe Biden, a Rússia deveria se preparar para o "funeral" de Nord Stream 2. Alan Riley, um especialista americano em segurança energética, diz na mesma linha, que acredita que os Estados Unidos, por meio de novas sanções, obscurecerão a construção do gasoduto pela própria Gazprom, levando ao seu colapso. Em troca, a equipe de Joe Biden oferecerá a Berlim um "pacote de segurança abrangente" que incluirá alguma energia renovável em vez do gás russo.

Se as informações do Bild estiverem corretas, então os republicanos e democratas "não são igualmente úteis" para o Nord Stream 2. O tempo dirá se isso é verdade ou não.
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
1 comentário
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Mikhail Petrov Off-line Mikhail Petrov
    Mikhail Petrov (Mikhail Petrov) 23 Novembro 2020 21: 00
    -1
    A China certamente ajudará. Mas, sim, não.

    O menino vai sair na varanda: não ... não ver ainda K̶r̶a̶s̶n̶o̶y̶ ̶A̶r̶m̶i̶i
    ajuda da China. O Malchish vai subir no telhado. Ele não sai do telhado o dia todo. Não, não para ver.