Nikkei: China pode atacar Taiwan e Japão ao mesmo tempo


A China pode atacar o Japão ao mesmo tempo que invade Taiwan. Essa ideia se reflete em um novo artigo do autoritário site Nikkei Asia.


O texto argumenta que os Estados Unidos exerceram recentemente uma pressão significativa sobre o Japão para promulgar uma contrapartida à Lei de Relações com Taiwan dos EUA, que permitiria a transferência de armas para a ilha, apesar da ausência de relações diplomáticas diretas.

Quando o lado japonês declarou sua relutância em aprovar qualquer lei relativa a Taiwan, começaram a aparecer na mídia americana notícias de que Tóquio, portanto, não queria destruir suas relações com Pequim.

Diante do primeiro-ministro Yoshihide Sugi e sua equipe, surgiu a necessidade de refutar tais especulações. Assim, em uma reunião recente no Salão Oval, ele mesmo levantou a questão da China perante o governo do presidente Joe Biden, mencionando as ações da guarda costeira da RPC perto das ilhas Senkaku. Yoshihide Suga disse que seu país "precisa fortalecer suas capacidades militares".

A cadeia de ilhas Senkaku, governada por japoneses, também reivindicada pela China como "Diaoyu", está localizada a apenas 170 quilômetros de Taiwan.

Embora os Estados Unidos tenham repetidamente reiterado que suas obrigações de tratado de segurança se estendem a Senkaku, o Japão teme que a China possa tentar assumir o controle das ilhas durante a invasão de Taiwan.

- anotado no texto.

Anteriormente, outros meios de comunicação regionais informaram que o Japão não planeja participar diretamente em um possível conflito militar entre a China e Taiwan, mesmo que os Estados Unidos intervenham diretamente neste último. No entanto, também foram expressas opiniões de que a ausência de envolvimento direto no conflito não impediria Tóquio de fornecer a Taipei uma ampla variedade de assistência no caso de uma escalada - tal prática não é algo novo.

O Tratado de Segurança Tóquio-Washington de 1960 prevê uma ação de defesa conjunta em apenas dois casos. O primeiro é uma agressão contra o próprio Japão, o segundo é um ataque às forças americanas em solo japonês. As Ilhas Ryukyu (junto com Okinawa), que naquela época estavam sob ocupação americana, não estavam sob o tratado naquela época. Porém, antes do retorno dos referidos territórios à soberania japonesa, ocorrido em 1972, os dois lados concordaram que, em caso de agressão militar de uma terceira potência contra o arquipélago, agiriam em conjunto para defendê-lo.

Em março de 2021, alguns meios de comunicação relataram que um esquema semelhante poderia ser usado para Taiwan, mas isso foi posteriormente refutado.
  • Fotografias utilizadas: Ministério da Defesa da República Popular da China
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
3 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Sapsan136 Off-line Sapsan136
    Sapsan136 (Sapsan136) Abril 28 2021 11: 30
    +4
    Não acho que o estado-maior geral da China seja tão estúpido quanto os autores deste artigo. É sempre melhor atingir o inimigo em partes, de modo que a China não lutará simultaneamente com o Japão e Taiwan se eles próprios não atacarem a China primeiro, unindo forças.
  2. Jacques sekavar Off-line Jacques sekavar
    Jacques sekavar (Jacques Sekavar) Abril 28 2021 12: 48
    +3
    Não apenas um absurdo, uma provocação.
  3. Petr Vladimirovich (Peter) Abril 29 2021 18: 02
    +5
    China pode atacar Taiwan e Japão ao mesmo tempo

    A probabilidade é exatamente a mesma que encontrar um dinossauro no pedestre Arbat ...