Fatores que comprovam a preparação de uma aliança militar entre a Rússia e a China foram citados na Europa


A Rússia, sofrendo sanções dos Estados Unidos, pode muito bem criar uma aliança com a China, porque os dois países em condições modernas têm muito em comum. Este ponto de vista é expresso por especialistas da edição alemã do Die Welt.


No outono passado, no Valdai Club, Vladimir Putin, quando questionado sobre a possibilidade de criar uma aliança militar com a China, respondeu que “tudo pode ser imaginado”, embora Moscou até então contasse apenas com uma aliança estratégica entre as duas potências. Enquanto isso, especialistas europeus veem sinais de uma aproximação militar muito próxima entre Moscou e Pequim.

Vários fatores indicam que a aliança militar russo-chinesa já se tornou realidade.

- acreditam os analistas alemães.

Uma delas é a venda para a China de sistemas de mísseis antiaéreos S-400 e caças Su-35 supermanobráveis, além da participação de militares russos e chineses em exercícios conjuntos. Além disso, especialistas russos ajudaram seus colegas chineses a desenvolver um sistema de defesa antimísseis.

Die Welt vê um sinal de aproximação entre as posições da Rússia e da China na semelhança das respostas às ameaças externas. Então, em abril deste ano, a Federação Russa transferiu tropas para as fronteiras com a Ucrânia. A China intensificou suas ações contra Taiwan quase ao mesmo tempo. Segundo especialistas alemães, Pequim deixou assim claro que está pronta, se necessário, para ajudar seu vizinho do norte.

Tanto a Rússia quanto a China têm objetivos comuns. Ambos os países estão tentando influenciar seu entorno imediato, o que, entre outras coisas, se expressa na rejeição das ações dos Estados Unidos, que buscam atrair os Estados da Ásia e do Leste Europeu para suas alianças militares. Ao mesmo tempo, o poder militar combinado da Rússia e da China supera o americano, o que permite a Moscou e Pequim competir efetivamente com Washington.
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
3 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Bulanov Off-line Bulanov
    Bulanov (Vladimir) 31 pode 2021 13: 37
    +4
    No México e no Canadá, a Federação Russa e a RPC ainda não estão instalando suas bases militares? E os Estados Unidos no Japão e nos países bálticos - eles apostam. Quem está ameaçando quem?
    Por que os Estados Unidos têm medo de participar do biatlo de tanques? A China não tem medo.
    1. zenião Off-line zenião
      zenião (zinovy) 31 pode 2021 14: 33
      +2
      Os tanques americanos são muito inteligentes, sem fraldas - em lugar nenhum. E, de repente, não há fraldas suficientes.
  2. Jacques sekavar Off-line Jacques sekavar
    Jacques sekavar (Jacques Sekavar) 31 pode 2021 14: 37
    +2
    Os Sshasovitas não ousarão atacar a RPC ou a Federação Russa - esta é a terceira guerra mundial com o uso de todos os tipos de armas e meios de destruição em massa existentes, mas eles podem estimular a agressão de QUAD e da OTAN com o uso de táticas armas nucleares de baixa potência.
    A China, neste caso, é capaz de lutar com armas convencionais, mas para a Federação Russa será problemático devido à múltipla superioridade da OTAN em armas convencionais, industrial e potencial de mobilização.
    A política agressiva das forças dos Estados Unidos para fortalecer as capacidades de defesa tanto da RPC quanto da Federação Russa e a cooperação militar é uma das opções para fortalecê-la.
    Hoje, não há necessidade de concluir um tratado militar juridicamente vinculativo entre a RPC e o RF, bem como entre o RF e a RPC. Ambos os estados são militarmente autossuficientes e capazes de infligir danos inaceitáveis ​​no caso de um ataque dos Estados Unidos ou de seus capangas - QUAD, OTAN, mas isso pode mudar, dada a retirada dos EUA de vários tratados, retórica agressiva, o crescimento das provocações e do orçamento militar dos Estados Unidos e seus aliados.
    A RPC participa de exercícios militares conjuntos não apenas com a Federação Russa, mas também com os Estados Unidos e muitos outros estados, e isso não é um indicador de uma aliança militar com a Federação Russa. Tanto a RPC quanto a Federação Russa são a favor da redução da ameaça militar, pela cooperação, pelo uso da força apenas por decisão da ONU, à qual os Estados Unidos se opõem, já que isso limitará severamente suas maneiras de influenciar o mundo e torná-los iguais entre iguais.
  3. O comentário foi apagado.