O diplomata: os russos não querem acreditar que a China deva ser temida


A China, que está desafiando cada vez mais os Estados Unidos econômica e militarmente, é motivo de preocupação para Washington. Nesse sentido, os especialistas estão prestando muita atenção ao relacionamento de Pequim com Moscou, outro centro de poder que ameaça a hegemonia dos EUA no cenário mundial.


De acordo com pesquisas recentes da Universidade de Chicago e do Levada Center (a organização é reconhecida como um agente estrangeiro na Rússia), a maioria dos russos considera as relações com a China benéficas para a Federação Russa. Analistas do Diplomat acreditam que há uma explicação para isso - em um cenário de sanções ocidentais, a China é um vasto mercado para o petróleo russo e uma fonte de investimento estrangeiro.

Putin e Xi também têm um forte relacionamento pessoal, que muitas vezes é mostrado em público. E os exercícios militares conjuntos Zapad e Sibu no mês passado tiveram como objetivo destacar a compatibilidade militar dos dois países.

No entanto, vários especialistas questionam a aproximação entre a Rússia e a China. Isaac Stone Fish, em seu artigo no Washington Post, observou que Moscou deveria temer Pequim mais do que Washington, apontando para a crescente perda de influência da Rússia na Ásia Central. econômico dependência da China e potenciais disputas territoriais no Extremo Oriente.

Ao mesmo tempo, um grande número de russos não quer acreditar que a China deva ser temida. Assim, 74% dos cidadãos da Federação Russa apoiam a RPC; 55% acham que a China é mais respeitada no mundo do que há dez anos; 53% acreditam que as relações da Rússia com a China fortalecem a posição da Federação Russa no mundo.

Porém, de acordo com a edição americana, é importante não exagerar a invariabilidade das opiniões do público. Se os russos veem esse relacionamento como uma dependência perigosa ou humilhante da China, político os incentivos para fazer amizade com os chineses também podem mudar.
  • Fotos usadas: kremlin.ru
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
11 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Bakht Off-line Bakht
    Bakht (Bakhtiyar) 17 Setembro 2021 09: 25
    +1
    Hoje, a maioria dos russos teme os Estados Unidos e o "Ocidente coletivo". Especialistas ocidentais fariam bem em descobrir o motivo disso. Por 30 anos, os Estados Unidos se transformaram de "amigos" em inimigos.
    1. Amargo Off-line Amargo
      Amargo (Gleb) 17 Setembro 2021 14: 35
      0
      Por 30 anos, os Estados Unidos se transformaram de "amigos" em inimigos.

      Um truque elegante o poder e o saque de quem está no poder, por 30 anos roubou e vendeu o país, e não só na América, mas os americanos foram os culpados por isso. Desnecessário dizer que eles habilmente transformaram a situação a seu favor.
      1. Bakht Off-line Bakht
        Bakht (Bakhtiyar) 17 Setembro 2021 15: 57
        +1
        Um truque interessante é substituir conceitos. Parece ser sobre jogadores externos.
        Para ter certeza. Os americanos não são "culpados". Por 30 anos, eles têm seguido uma política proposital que visa o colapso do país inimigo. Mas se alguém ainda os considera amigos (eu pessoalmente nunca os considerei amigos), então isso é problema dele.
        1. Miffer Off-line Miffer
          Miffer (Sam Miffers) 18 Setembro 2021 17: 45
          -2
          Por 30 anos, eles têm seguido uma política proposital que visa o colapso do país inimigo.

          Você pode escrever pessoalmente sobre essas "nuances" em portais como este.
          Por outro lado, o primeiro secretário do Comitê Central do PCUS, Khrushchev, gritou para todo o mundo: "Vamos enterrar vocês!"
          Em 1991, os Estados Unidos mostraram quem e quem realmente pode "enterrar".
          1. Bakht Off-line Bakht
            Bakht (Bakhtiyar) 18 Setembro 2021 17: 48
            +1
            Khrushchev não bateu na plataforma com o sapato. Ele bateu com o sapato na mesa. E os Estados da época não batiam com os calcanhares, mas cercavam o país de mísseis. "Upper Volta" pode escrever em outros sites. Agora, este país mostra a todos quem é. E nem mesmo nós a enterramos. Eu não vejo flores no túmulo.
            1. Miffer Off-line Miffer
              Miffer (Sam Miffers) 19 Setembro 2021 11: 36
              -1
              https://www.youtube.com/watch?v=7pMc8KVqiZI

              Sim, o Alto Volta agora está mostrando a todos quem está. Mas, por alguma razão, não vi nenhuma menção a isso em lugar nenhum.

              A URSS deixou de existir nos últimos dias de 1991. Lá também baixaram a bandeira vermelha e o primeiro e último presidente da URSS, Gorbachev, teve (se não me engano) um dia para desocupar seu cargo no Kremlin.
              Você já ouviu falar disso? E aqui este Bakht (Bakhtiyar) está se construindo tão inteligente que não há outro lugar para ir.
              1. Bakht Off-line Bakht
                Bakht (Bakhtiyar) 19 Setembro 2021 12: 25
                0
                Mais inteligente do que você, de qualquer maneira. Se você não entende o significado principal do artigo e meu comentário, então não posso te ajudar.
                1. O comentário foi apagado.
                  1. O comentário foi apagado.
                    1. O comentário foi apagado.
                2. O comentário foi apagado.
  2. trabalhador de aço 17 Setembro 2021 10: 13
    -1
    Os russos não querem acreditar que a China precisa ser temida

    Aqueles que não acreditam são aqueles que não querem saber nada, não lêem nada e não olham para este assunto. Uma terra fértil, com suas estufas, quanto sujaram! Só isso já diz muito. E se Putin está "barganhando" com a China, isso não significa os russos. Khabarovsk é um exemplo para todos!
  3. Bulanov Off-line Bulanov
    Bulanov (Vladimir) 17 Setembro 2021 13: 17
    0
    Isaac Stone Fish, em seu artigo no Washington Post, observou que Moscou deveria ser mais cautelosa com Pequim do que Washington.

    Parece que não Pequim, mas Washington depois da Segunda Guerra Mundial queria bombardear a URSS com bombas atômicas. Parece que Yeltsin teve pressa com o presidente americano após a assinatura do acordo de liquidação da URSS, e não com o presidente da RPC ...
    1. Amargo Off-line Amargo
      Amargo (Gleb) 17 Setembro 2021 14: 41
      +1
      Bem, sim, sempre houve paz, amizade, goma de mascar com os chineses. Meu avô também me disse que certa vez teve a chance, na fronteira, de "fazer amizade" com sabotadores chineses.
  4. Vladislav N. Off-line Vladislav N.
    Vladislav N. (Vlad) 17 Setembro 2021 23: 24
    -2
    Se enfraquecermos, os estados vizinhos tirarão de nós o que consideram ser seu e mais do que isso. A China não é exceção.
    Pessoas que não entendem essa evidência (não querem entender) sofrem de um transtorno psicótico grave.
    E o fato de vários oficiais próximos uns dos outros estarem sorrindo para as lentes e brincando com soldados juntos, bem, sim, eles estão brincando, nada mais.