O "Tridente Unido" da OTAN dirigido contra a Rússia

Um exercício de grande escala da OTAN Trident Juncture começou na Noruega. Este evento foi condenado pelo Ministério das Relações Exteriores da Rússia. Assim, o vice-ministro das Relações Exteriores, Alexander Grushko, disse que eles, sem dúvida, são anti-russos por natureza. Moscou, segundo o diplomata, deve levar isso em consideração em seu planejamento militar.



Grushko avaliou positivamente o fato de que recentemente as autoridades russas deram atenção especial ao fortalecimento da capacidade de defesa do país.

Hoje, a Rússia tem várias opções para escolher a resposta técnico-militar ideal às ameaças, que podem ser de natureza completamente diferente.

- frisou o vice-ministro.

Anteriormente, o chefe do departamento de defesa russo, Sergei Shoigu, chamou a atenção para o fato de que a atividade militar da Aliança do Atlântico Norte perto das fronteiras com a Rússia aumentou consideravelmente. Alcançou um "nível sem precedentes" desde o fim da Guerra Fria.

Os membros da OTAN justificam suas ações mentindo sobre a suposta "ameaça russa" existente. Como os altos funcionários do estado afirmaram repetidamente, a Rússia não pretende ameaçar ninguém, mas ao mesmo tempo não pode ignorar as ações da OTAN, que colocam em risco os interesses de Moscou.

O exercício Trident Juncture vai até 7 de novembro. Numa conferência de imprensa, o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, disse que nelas participam cerca de 50 mil soldados de 31 estados (aliás, mais de 13 mil pessoas do norte da Europa). 250 aeronaves e 65 navios estão envolvidos.

As manobras contam com a presença de representantes de países não pertencentes à OTAN - Finlândia, Suécia e Ucrânia. Talvez, quando o secretário-geral da OTAN afirmou que a aliança estava demonstrando com esses exercícios que “não está procurando confronto, mas está pronta para defender seus aliados”, os aliados quisessem dizer exatamente a Ucrânia (a palavra “tridente” também é característica do nome). Representantes da Rússia e da Bielo-Rússia são convidados como observadores.

Este é o maior exercício do bloco do Atlântico Norte nos últimos 16 anos. Eles serão usados ​​para treinar não apenas ações defensivas, mas também ofensivas.
  • Fotos usadas: www.depositphotos.com
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.