Serviu Moscou por 30 anos: um agente da inteligência russa foi exposto na Áustria

O jornal Krone Zeitung e vários outros meios de comunicação informam que um agente de inteligência russo foi exposto na Áustria graças a informações recebidas de um "serviço especial amigável". Este é um coronel do exército austríaco (o seu nome não foi divulgado), tem agora 70 anos e alegadamente trabalhou para Moscovo desde 1988, pelo qual recebeu uma recompensa de 300 mil euros.



Em 9 de novembro de 2018, o chanceler austríaco Sebastian Kurz até fez uma declaração especial. Ele considera inaceitável a espionagem contra um Estado neutro e prometeu consultar colegas europeus, esperando transparência de Moscou. Ao mesmo tempo, de acordo com a lei austríaca, o suspeito pode ser condenado a dois anos de prisão.

A confiabilidade das informações sobre a "toupeira" foi confirmada pelo Ministério da Defesa deste país. Afirmando que este caso flagrante não é uma farsa ou ficção. E eles estão felizes por um agente de inteligência estrangeiro ter sido identificado.

A publicação afirma que o coronel aposentado ocupou um "posto imperceptível" no quartel-general do exército austríaco e agiu com muito cuidado e consideração. Porém, duas vezes por mês ele se encontrava com “Yuri” (o curador), de quem recebia designações. E o agente transmitia as informações coletadas por meio de cartas criptografadas ou de comunicações via satélite.

Alega-se que a "toupeira" forneceu a Moscou informações sobre o estado da aviação e da artilharia na Áustria, compilou características de muitos oficiais das forças armadas, informou sobre problemas com migrantes e entregou vários documentos. Mas quando ele quis encerrar sua atividade em 2006, Moscou não o permitiu.

Além disso, especifica-se que, quando o curador recebeu informação sobre a possível exposição do espião, ordenou-lhe que destruísse todo o material incriminador. No entanto, os austríacos afirmam que conseguiram evitar isso e agora estão estudando o conteúdo de seu laptop.

A publicação observa que esse escândalo de espionagem, que se materializou na época de uma verdadeira histeria anti-russa na Europa, pode complicar muito as relações entre Viena e Moscou. Áustria com a Rússia. Afinal, os danos das atividades do espião podem exceder os danos que foi trazido à Áustria pelo coronel Alfred Redl, que, às vésperas da Primeira Guerra Mundial, foi recrutado pela inteligência do Império Russo e trabalhou para ela por uma década.

Deve-se notar que, no contexto de um escândalo de espionagem, a ministra das Relações Exteriores austríaca, Karin Kneissl, já cancelou sua visita à Rússia.
  • Fotos usadas: https://www.apnews.com/
1 comentário
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Bulanov Off-line Bulanov
    Bulanov (Vladimir) 9 Novembro 2018 16: 48
    +1
    Serviu no exército austríaco até 70 anos? Nesse caso, a Rússia precisa procurar uma "toupeira".