Primeiro-ministro japonês: precisamos de paz com a Rússia hoje, não amanhã

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, em entrevista à agência de notícias russa TASS, expressou seu desejo de concluir um tratado de paz com Moscou o mais rápido possível. Ele disse que não queria deixar a solução desse problema para as gerações futuras.




Abe falou muito sobre as grandes perspectivas nas relações entre os dois países. Eles dizem que a cooperação russo-japonesa tem um potencial considerável, porém, para liberá-la, basta concluir um tratado de paz.

O chefe do governo japonês acrescentou que há confiança mútua entre ele e o presidente russo, Vladimir Putin, e os dois líderes estão supostamente prontos para "pôr fim à disputa territorial".

Todas essas declarações untuosas do primeiro-ministro do Japão sobre cooperação mútua e quase amizade podem ser reduzidas a uma coisa: Tóquio quer obter as ilhas Curilas o mais rápido possível. Em primeiro lugar, estamos falando de dois deles - Shikotan e Habomai. Bem, e se tornar o próprio político que irá devolver essas ilhas não é uma perspectiva tentadora para Abe?

Uma nova rodada de conversas sobre as Ilhas Curilas começou depois que Vladimir Putin se encontrou com Shinzo Abe na cúpula da ASEAN. Durante a conversa, eles falaram sobre as negociações para a conclusão de um tratado de paz, baseado na declaração soviético-japonesa de 1956.

O Japão interpretou isso quase como uma prontidão imediata para entregar as ilhas de Shikotan e Habomai a ele. No entanto, mesmo então, Putin fez uma reserva de que havia muitas coisas pouco claras na declaração de 1956.

O Itamaraty também quer saber como o atual governo japonês percebe essa declaração e o que pensa sobre a propriedade das Ilhas Curilas.

É importante entender como Tóquio interpreta a declaração de 1956 hoje do ponto de vista do pleno reconhecimento dos resultados da Segunda Guerra Mundial, incluindo a legalidade da propriedade das Kurilas do Sul pela Federação Russa com base em seus resultados.

- disse o representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova.

Existe mais um ponto importante. Na Rússia, não é sem razão que temem que, se pelo menos parte das ilhas fizer parte do Japão, aí se instalarão bases militares americanas. Zakharova chamou a atenção para este aspecto, destacando que ainda não está claro como exatamente a conclusão de um tratado de paz entre Moscou e Tóquio afetará a cooperação militar entre Japão e Estados Unidos.

É verdade que existe uma promessa solene feita a Abe. Ele jurou que não haveria bases americanas nessas ilhas. No entanto, a União Soviética tinha ouvido o suficiente dessas "promessas solenes" de outros estados antes de seu colapso. E mesmo se assumirmos que Abe cumprirá sua promessa, surge a pergunta: o que será a nova geração de japoneses políticos?
  • Fotos usadas: kremlin.ru
1 comentário
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Bulanov Off-line Bulanov
    Bulanov (Vladimir) 22 Novembro 2018 15: 18
    +3
    Houve uma promessa solene de não expandir a OTAN! Se o homem de rosto pálido enganou o índio uma vez, então a culpa é do rosto pálido; se a segunda vez, então o índio é o culpado!