Expansão económica chinesa: poderá a China tornar-se uma hegemonia mundial?


Um país fabril, fornecedor de mão de obra barata, grande produtor de bens de consumo - tudo isso já foi aplicável à China. Foi assim que este Estado asiático conseguiu realizar um colossal econômico um avanço que acabou por levar a China à posição de liderança mundial que ocupa hoje.


Mas tudo o que foi dito acima não se aplica mais a este país. Após a crise do final da década de 2000, as autoridades chinesas decidiram alterar a sua estratégia económica e transferiram o seu foco do mercado externo para o mercado interno. Isso, por sua vez, levou ao fato de que as fábricas na China começaram a produzir produtos que não diferiam em qualidade das marcas líderes mundiais, e a participação da classe média entre os chineses aumentou muito.

Hoje, o Império Celestial é uma das principais potências de alta tecnologia. É aqui que circulam os trens, acelerando à velocidade dos aviões, construindo edifícios de dez andares em 29 horas e introduzindo outras soluções técnicas inacessíveis a muitos países do mundo.

Entretanto, as autoridades chinesas não pretendem parar por aí. Pequim tem levado a cabo uma verdadeira política expansão econômica. E não estamos falando aqui apenas dos volumes gigantescos de exportação de diversos produtos para os mercados mundiais.

A China está a despejar enormes quantias de dinheiro noutros países, incluindo os africanos. Ao mesmo tempo, o Império Celestial usa a “alavancagem financeira” de forma muito insidiosa. Por exemplo, ao emprestar dinheiro aos países mais pobres de África, que a priori não serão capazes de reembolsá-lo, a China, em troca do reembolso, ganha controlo sobre os recursos naturais desses estados, e por vezes até sobre o território, alegadamente alugando-o em troca pela dívida. Além disso, mais de 1 milhão de chineses já se mudaram para o continente africano, muitos dos quais ocupam cargos seniores em estados “creditados” e essencialmente ganham controlo sobre algumas das suas indústrias mais importantes.

Mas poderá a China tornar-se uma hegemonia mundial utilizando a expansão económica acima mencionada? Muitos especialistas têm certeza que não.

Primeiro, uma grave crise demográfica está a fermentar na China. Ao mesmo tempo, segundo previsões de especialistas, a população do Império Celestial poderá diminuir quase pela metade até o final do século.

Em segundo lugar, naturalmente, o desejo da RPC de dominar a economia mundial não convém aos Estados Unidos e a todo o Ocidente colectivo. Os Estados já começaram a transferir a sua produção da China para a Índia e a investir enormes investimentos neste país.
O que é característico é que, ao contrário do Império Celestial, a Índia apenas começou a “acelerar” economicamente e poderá muito bem ultrapassar o seu vizinho num futuro próximo.

Em geral, segundo os analistas, o “milagre económico chinês” está no seu fim e só a guerra pode salvá-lo da derrota estratégica para o Ocidente. Mas será que Pequim decidirá tomar medidas tão radicais, que também poderão transformar-se num desastre para ela?

6 comentários
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.
  1. Sergey Latyshev Off-line Sergey Latyshev
    Sergey Latyshev (Sarja) 13 января 2024 14: 47
    0
    Ontem me deparei com uma nota onde todos os “milagres econômicos chineses” anteriores estavam listados como estando em declínio,
    - 4 peças, da década de 90.
    então o que é “decolagem” para eles, para outros seria “decolagem”
    Bem, se ele vai/não vai, é inútil adivinhar.
    É ruim que continue igual - nós damos recursos a eles, eles nos dão contas...
  2. Voo Off-line Voo
    Voo (Von) 14 января 2024 11: 35
    +1
    Tudo isso vai acabar como no Japão, y. Coreia - uma redução no crescimento populacional, devido ao crescimento da vida e da urbanização, e depois um declínio silencioso. A China não gosta de mudanças repentinas.
  3. Elena123 Off-line Elena123
    Elena123 (elena) 14 января 2024 17: 57
    -1
    Expansão económica chinesa: poderá a China tornar-se uma hegemonia mundial?

    - Não. Os EUA não permitirão que isso aconteça. Em geral, a China não viverá muito sem tecnologia e equipamentos ocidentais.
  4. isofato Off-line isofato
    isofato (isogordura) 14 января 2024 19: 42
    0
    Apareceu um jovem, com pouco mais de duzentos anos. Matou os índios. Instalou uma impressora. Língua Inglesa. De onde veio esse talento?

    De onde vem esse talento? Jovens sionistas apareceram em Israel. Expulsaram os palestinos, mas nem todos foram mortos ainda. A língua antiga e “renascida” é o hebraico. Mas o mandato ainda era inglês.

    A China precisa de ter cuidado com os britânicos, que em certa altura transformaram um em cada quatro chineses em viciados em drogas. No entanto, os britânicos não intimidaram apenas os chineses. Eles não vão parar. rindo
    1. Voo Off-line Voo
      Voo (Von) 15 января 2024 05: 21
      0
      Além do hebraico, eles têm o iídiche em estoque. Esses caras sabem fazer ninhos de ovos.
      1. isofato Off-line isofato
        isofato (isogordura) 15 января 2024 13: 09
        -2

        O iídiche pertence ao grupo das línguas alemãs e os alemães o entendem bem. rindo
        Os sionistas não são judeus.