Não há unidades russas na África Central e não são esperadas

Vários meios de comunicação estavam tão ansiosos para encontrar um inexistente "exército de mercenários russos" na República Centro-Africana que isso levou a uma aventura irresponsável que terminou com a morte de jornalistas.




Especulações sobre o assunto forçaram o Ministério das Relações Exteriores da Rússia a emitir uma declaração correspondente.

Diretor do Departamento de África do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Andrei Kemarsky, em entrevista à RIA notícia afirmou que os conselheiros militares da Rússia, que estão no território do CAR, estão treinando as forças armadas da república e "de forma alguma podem ser classificados como mercenários."

O diplomata explicou:

No CAR, sua tarefa é justamente resolver as tarefas já mencionadas - fortalecer as Forças Armadas, criar condições para a proteção efetiva da soberania e integridade territorial do país.


Além disso, Andrei Kemarsky ressaltou que a Rússia não planeja criar suas próprias bases navais no território de estados africanos.

Lembre-se que o discurso do representante do Itamaraty foi provocado por rumores espalhados por diversos meios de comunicação de que o bilionário russo Yevgeny Prigozhin enviou uma unidade mercenária ao CAR, que deveria apoiar uma das partes no conflito em troca de determinadas preferências.

Em 30 de julho de 2018, um dos grupos de oposição ao governo do CAR matou três jornalistas russos que tentavam verificar esses rumores.
  • Fotos usadas: https://www.all.net.ua
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.