Alemanha pretende se livrar das armas nucleares dos EUA

Nos países europeus, eles estão começando a entender o abismo que estão sendo puxados por "parceiros e aliados" dos Estados Unidos, por aí terem implantado suas armas nucleares, dirigidas contra a Rússia.




Em particular, representantes do Partido Social-democrata da Alemanha (SPD), que faz parte da coalizão governante do país, de repente viram a luz e disseram que as armas nucleares americanas não deveriam ser mantidas no país.

alemão políticos pode-se entender: a situação geopolítica no mundo mudou há muito, e a Alemanha ainda vive nas realidades da Guerra Fria. Afinal, foi então que se chegou a um acordo, ou, mais simplesmente, os Estados Unidos pressionaram a RFA e obrigaram os alemães a concordar que, em caso de ataque russo à Europa, aviões alemães seriam usados ​​para lançar bombas nucleares.

De acordo com várias estimativas, existem agora 180 bombas nucleares B61 nos países da UE. Destes, cerca de 20 estão na Alemanha.

De acordo com o MP do SPD, Rolf Mützenig, o envolvimento nuclear não significa necessariamente que a Alemanha deva possuir armas nucleares. Como exemplo, ele citou um aliado muito mais próximo dos EUA na OTAN - o Canadá, em cujo território não existem armas nucleares.

A opinião de Mützenig é partilhada pelo vice-presidente dos social-democratas Ralph Stegner. Ele acredita que, na realidade mudada, a Alemanha não precisa implantar armas nucleares americanas em seu território.

O político lembrou que o SPD não apoiará a compra de caças F / A-18 pela Alemanha para o transporte de bombas atômicas.
  • Fotos usadas: http://archive.defense.gov
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.