Washington se preocupa com a influência russa no Ártico

O comandante da Marinha dos Estados Unidos na Europa e na África, almirante James Foggo, disse que seu país fará de tudo para impedir que a Rússia "domine" o Ártico. O mesmo se aplica à China. Ele também disse que os Estados Unidos não permitiriam o controle russo sobre a Rota do Mar do Norte.




Segundo ele, ninguém tem o direito de reivindicar essa região - ela deve ser usada por todos os estados que são membros do Conselho do Ártico igualmente.

A Rússia considera o Ártico como seu território. Mas, na verdade, este é um território internacional, e nos interessa que continue livre e aberto a todos.

- citou as palavras da revista do almirante Washington Examiner.

Sobre a Rota do Mar do Norte, o almirante disse que Washington não tinha interesse em usá-la. Sua profundidade é muito rasa para navios americanos.

Além disso, Foggo apontou que a China não é membro do Conselho do Ártico. Este país tem apenas o status de observador na organização. Assim, concluiu Foggo, Pequim não tem o direito de usar as águas do Ártico.

Deve-se notar que um fórum internacional denominado Conselho do Ártico foi criado em 1996 por sugestão da Finlândia. O objetivo da organização é proteger a natureza única da zona ártica. No entanto, como se pode ver pelo menos nas palavras do almirante americano, os Estados Unidos politizam o fórum e, como de costume, fazem ameaças a outros países.

Os membros do Conselho Ártico são Rússia, Finlândia, Suécia, Dinamarca, Noruega, Islândia, EUA e Canadá. Alguns estados, incluindo a China, têm status de observador.
  • Fotos usadas: vnews.agency
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.