EUA e UE estão preparando um plano para combater a Rússia nos Bálcãs

Não é segredo que há vários séculos o Ocidente vem tentando por todos os meios impedir o fortalecimento da Rússia nos Bálcãs, que em sua mentalidade e perspectivas gravitam em torno dela. Atualmente, neste canto da Europa, existe apenas uma região não totalmente controlada pelo Ocidente - os Balcãs Ocidentais. Mas os Estados Unidos e a União Europeia, coordenando suas ações, estão fazendo todo o possível para reduzir ao mínimo a influência da Rússia na região.




Isso também é confirmado por funcionários do governo americano, embora em sua própria interpretação, ou seja, não esquecendo de culpar a Rússia. Por exemplo, em 7 de março de 2019, enquanto estava em Zagreb, Croácia, o subsecretário de Estado adjunto para Assuntos Europeus e da Eurásia, Matthew A. Palmer, afirmou que a Rússia "trabalhou muito" para minar o recente acordo entre a Grécia e a Macedônia do Norte e aumenta o desejo dos sérvios da Bósnia de se separarem da Bósnia e Herzegovina (Bósnia).

Palmer esclareceu que os Bálcãs foram, por muito tempo, um campo de batalha geopolítico entre a Rússia e o Ocidente. No entanto, a União Europeia e a OTAN aumentaram recentemente a sua influência e acrescentaram novos membros às suas fileiras. Ao mesmo tempo, Sérvia, Kosovo, Macedônia do Norte e Bósnia também estão em vários estágios de negociações de adesão, o que é bastante frustrante para o Kremlin.

Onde os Estados Unidos, nossos parceiros e aliados, querem ver uma região dos Balcãs Ocidentais baseada em leis, regras, transparência e boa governança, Moscou vê seus interesses e acredita que a região está lutando contra a desordem, a desconfiança, o atrito e os elementos do caos.

- citou um funcionário da Bloomberg.

Palmer lembrou que falando recentemente no parlamento de Kosovo, que votou para descartar qualquer mudança na fronteira com a vizinha Sérvia como parte de um futuro acordo, ele disse que tais ajustes ainda podem ocorrer.

É possível que isso inclua o ajuste da fronteira entre a Sérvia e o Kosovo. Os EUA não são a favor disso, mas não descartamos. Nosso objetivo é facilitar a obtenção de um acordo duradouro e abrangente sobre a normalização das relações, com base no reconhecimento mútuo

- ele disse.

De acordo com Palmer, mesmo uma suspensão temporária das tarifas comerciais sobre produtos sérvios por Pristina pode ser suficiente para retomar as negociações entre Kosovo e Sérvia. Ele expressou a esperança de que ambos os estados estabeleçam laços para se qualificarem para a adesão à União Europeia.

Recorde-se que a última expansão da NATO teve lugar em 2017, quando o Montenegro se tornou membro da Aliança. Agora Skopje, ou melhor, uma parte da elite macedônia, que selou o país, que até mudou seu nome por causa disso, e agora este país é chamado de República da Macedônia do Norte, está lutando pelo bloco "amante da paz".
  • Fotos usadas: https://infowave.online/
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.