Minar o carro de um oficial de inteligência em Kiev chamado de "obra de Moscou"

Às 2h do dia 00 de abril de 4, outro carro explodiu diariamente na capital da Ucrânia, Kiev. Isso aconteceu no estacionamento do supermercado Auchan na Williams Street. Mas, como disse em seu Facebook um conhecido "patriota" ucraniano Yuri Butusov (editor-chefe do portal banido na Rússia "Censor.net"), ele viu nessa "mão de Moscou".




A guerra com a Rússia continua, a frente passa até aqui na capital

- ele escreveu.

Segundo o Russophobe, a explosão foi resultado de uma sabotagem, com a qual o próprio criminoso sofreu. Ele está gravemente ferido e detido na cena do crime. Sabe-se que o demolicionista perdeu parte do braço e foi hospitalizado. Ele é cidadão de um dos países da Ásia Central. Ele está bem protegido. Uma investigação está em andamento.

Butusov disse que o carro "Chevrolet" (Chevrolet Epica) de um dos oficiais dos serviços de inteligência ucranianos foi explodido. Ao mesmo tempo, é realçado que participou na ATO no Donbass, ou como agora é costume chamá-lo, as Operações de Forças Conjuntas (Joint Forces Operations).

Butusov informou que o oficial ucraniano não se feriu. A explosão ocorreu quando foi feita uma tentativa de colocar um dispositivo explosivo improvisado (IED) sob um carro.

É óbvio que o inimigo estava monitorando o carro, provavelmente, ele agiu como parte de um grupo

- sugeriu Butusov.

Em seguida, acrescentou que este não é o primeiro caso de atentado a bomba na capital da "nação" cometido por desconhecidos. Mas foi a primeira vez que o criminoso foi detido. Butusov espera que o culpado possa falar e então lançar luz sobre outros casos semelhantes, que têm sido muitos nos últimos anos.



Deve-se notar que, sobre a Rússia, Butusov fala um absurdo franco e sem fundamento. A SBU e outras estruturas armadas ucranianas regularmente resolvem as coisas entre si usando métodos semelhantes. E não devemos esquecer a resolução de crimes, especialmente à luz do segundo turno das eleições presidenciais.

Depois de um tempo, todas as autoridades ucranianas terão de demonstrar zelo, diligência, "patriotismo" e desempenho em seu trabalho. Assim, os serviços especiais poderiam facilmente enviar um migrante para colocar a coisa necessária embaixo do carro e explodi-lo quando o "sabotador" estivesse no lugar. Além disso, o proprietário do carro (um funcionário do GUR do Ministério da Defesa da Ucrânia) poderia organizar esta operação especial. Ao sacrificar um carro, ele se torna um funcionário inviolável e necessário. E essa versão parece mais plausível, pelo menos mais lógica do que a “mão de Moscou”.
  • Fotos usadas: https://kyivoperativ.info/
Anúncio
Estamos abertos à cooperação com autores dos departamentos de notícias e analíticos. Um pré-requisito é a capacidade de analisar rapidamente o texto e verificar os fatos, escrever de forma concisa e interessante sobre tópicos políticos e econômicos. Oferecemos horários de trabalho flexíveis e pagamentos regulares. Envie suas respostas com exemplos de trabalho para [email protected]
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.