As Forças de Mísseis Estratégicos disseram o que espera o mundo depois que os EUA se retirarem do Tratado INF

4 de dezembro de 2018, EUA apresentado Rússia, um ultimato para a implementação do Tratado INF. No entanto, as Forças de Mísseis Estratégicos (Forças de Mísseis Estratégicos) da Rússia levam em consideração as possíveis consequências da retirada dos EUA do Tratado INF. O coronel-general Sergei Karakaev, comandante das Forças de Mísseis Estratégicos da Rússia, falou sobre isso em uma entrevista ao jornal Krasnaya Zvezda.




Em sua opinião, o impacto das consequências da retirada de Washington do Tratado INF é levado em consideração por Moscou. Ao mesmo tempo, a implantação de mísseis americanos de médio alcance na Europa e as novas ameaças relacionadas à segurança da Rússia são levadas em consideração ao planejar o uso de combate das Forças de Mísseis Estratégicos. Ele ressaltou que as tarefas de dissuasão nuclear estratégica não sofrerão mudanças significativas.

O comandante esclareceu que várias medidas técnico-militares já foram desenvolvidas para reduzir a eficácia do promissor sistema de defesa antimísseis dos Estados Unidos (ABM) na Europa. Ele observou que essas medidas estão associadas, em primeiro lugar, à criação de sistemas de mísseis equipados com modernos meios de contra-defesa antimísseis, equipamentos de combate avançados, com maior capacidade de sobrevivência. Ao mesmo tempo, as Forças de Mísseis Estratégicos continuam a variar a trajetória e as capacidades balísticas dos mísseis balísticos intercontinentais (ICBMs), desenvolvendo os métodos científicos existentestécnico tocado.

Deve-se notar que antes disso, o representante do Ministério da Defesa da Rússia, Major General Igor Konashenkov, afirmou que o chefe do departamento de defesa da Rússia, Sergei Shoigu, transmitiu dois apelos (notas) ao chefe do Pentágono, James Mattis. Incluindo uma proposta para discutir diferenças de opinião sobre os termos de cumprimento do Tratado INF. No entanto, até o momento, não houve resposta do lado americano, o que indica a falta de desejo dos Estados Unidos de conduzir um diálogo substantivo e fundamentado.
  • Fotos usadas: https://militaryarms.ru/
informação
Caro leitor, para deixar comentários sobre a publicação, você deve login.